Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Em jogo marcado por recordes, Japão e Senegal empatam e seguem juntos na ponta

Equipes ficam no 2 a 2 e seguem líderes do Grupo H, ambas com quatro pontos

Ricardo Magatti, especial para a AE, Estadão Conteúdo

24 Junho 2018 | 14h22

Em jogo equilibrado, entre duas equipes obedientes taticamente, as seleções de Japão e Senegal empataram por 2 a 2 neste domingo, em Ecaterimburgo, e perderam a chance de dar um passo gigantesco rumo às oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. A partida foi marcada por quebras de recordes dos dois lados.

+ TEMPO REAL: Japão 2 x 2 Senegal

Os senegaleses estiveram na frente do placar em duas oportunidades, mas não conseguiram segurar as vantagens. Craque do time, Sadio Mané marcou o primeiro e Wagué fez o segundo para se tornar o jogador mais jovem de uma seleção africana a balançar as redes em um Mundial. Ele tem 19 anos e oito meses.

Muito pacientes, os japoneses contaram com o talento do jovem Inui, que fez o primeiro, e com a experiência de Honda. Este saiu do banco para buscar o empate e também conseguiu uma marca importante. Com o gol, o meia do Pachuca, do México, passou a ser o primeiro japonês a marcar em três Mundiais.

O resultado pode embolar o Grupo H, dependendo do resultado de Polônia e Colômbia, que se enfrentam ainda neste domingo, e deixa a decisão das vagas para a última rodada da primeira fase. Ambos somam quatro pontos, mas os japoneses lideram no momento por terem um cartão amarelo a menos que o Senegal.

 

Os jogos da rodada final da chave serão disputados na próxima quinta-feira, às 11 horas (de Brasília). O Japão tenta a classificação contra a Polônia, em Volgogrado, e o Senegal joga pela vaga diante da Colômbia, em Samara.

O JOGO

O primeiro tempo em Ecaterimburgo pode ser dividido em duas partes. Na primeira, os senegaleses comandaram as ações, com mais posse de bola e imposição nas jogadas ofensivas diante de um Japão fechado, e que não deixava os atacantes rivais, especialmente Mané, terem espaço.

No entanto, a seleção africana não precisou de muitas chances para chegar ao seu gol. Foram eficientes em poucas chegadas e abriram o placar com Mané, meio sem querer, aos dez minutos. O astro do Liverpool estava na hora e lugar certos e viu chute de Sabaly ser espalmado pelo goleiro Kawashima e bater em seu joelho antes de entrar.

Em desvantagem, os japoneses deixaram a timidez de lado e equilibraram as ações. Com Inui, Kagawa e Haraguchi no comando da criação das jogadas, a equipe asiática trocou vários passes e foi paciente para chegar ao empate, que veio com Inui.

Aos 33 minutos, o jovem meia foi acionado na esquerda da área e bateu colocado, com muita precisão, na rede lateral esquerda do gol, tirando qualquer possibilidade de defesa de K. N'Diaye. O gol de empate foi dedicado à princesa do Japão, Takamado, que esteve no estádio acompanhado a partida.

O cenário da etapa final não foi muito diferente em relação ao primeiro tempo. Novamente o equilíbrio deu o tom, os senegaleses foram superiores nos minutos iniciais e os japoneses na parte final. Depois de se assustar com uma bola na trave de Inui, a seleção africana respondeu rápido e voltou a ficar na frente do placar.

O gol saiu aos 25 minutos, em uma boa trama coletiva, com nova participação do lateral-esquerdo Sabaly. Ele recebeu de Mané e cruzou para a pequena área. A bola passou por Niang e chegou no lateral-direito Wagué, que acertou o gol de primeira, no alto, para recolocar o Senegal em vantagem. Aos 19 anos e oito meses, Wagué se tornou o jogador mais novo de uma seleção africana a marcar em Copas.

No lance, o goleiro Khadim N'Diaye saiu muito mal do gol na tentativa de cortar o cruzamento, e viu Inui cruzar para Honda, sem goleiro, empatar a partida, que seguiu equilibrada nos minutos finais e sem mais gols.

FICHA TÉCNICA:

JAPÃO 2 X 2 SENEGAL

JAPÃO - Kawashima; Sakai, Yoshida, Shoji e Nagatomo; Hasebe, Shibasaki, Inui (Usami), Kagawa (Honda) e Haraguchi (Okazaki); Osako. Técnico: Akira Nishino.

SENEGAL - K. N'Diaye; Wagué, Koulibaly, Sané e Sabaly; A. N'Diaye (Kouyaté), Gueye e B. Ndiaye (N'Doye); Mané, Sarr e Niang (Diouf). Técnico: Aliou Cissé.

GOLS - Mané, aos 10, e Inui, aos 33 minutos do primeiro tempo; Wagué, aos 25, e Honda, aos 32 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Gianluca Rocchi (Itália).

CARTÕES AMARELOS - Niang e Sabaly (Senegal); Inui e Hasebe (Japão)

PÚBLICO - Não disponível.

LOCAL - Arena Ecaterimburgo, em Ecaterimburgo (Rússia).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.