Márcio Cunha/ACF
Márcio Cunha/ACF

Em jogo ruim, Chapecoense e Bahia empatam sem gols e ampliam jejum de vitórias

Resultado de 0 a 0 não melhora a situação de nenhum dos dois times no Campeonato Brasileiro

Redação, Estadão Conteúdo

28 de julho de 2019 | 13h31

Em jogo de poucos lances de perigo, em que predominaram os erros individuais, Chapecoense e Bahia não saíram do 0 a 0 na manhã deste domingo, na Arena Condá, em Chapecó, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado é ruim para os dois times na sequência da competição.

Com nove pontos, a Chapecoense segue dentro da zona do rebaixamento, ocupando a 18ª posição, atrás do 17º Fluminense pelo saldo de gols (-5 a -9 para os cariocas). O Bahia, com 16 pontos, perdeu a oportunidade de encostar na briga pelas primeiras posições e segue no meio da tabela, agora na 11ª colocação.

Os dois times ainda não venceram na retomada do torneio depois da Copa América e amargam uma série de partidas sem vitória. O time catarinense está há seis jogos sem vencer e não triunfa desde a sexta rodada, no final de maio, quando derrotou o Cruzeiro no Mineirão.

Já a equipe baiana saiu vitoriosa pela última na sétima rodada, em 1º de julho, quando fez 1 a 0 no Grêmio. Entre Brasileirão e Copa do Brasil, o Bahia tem sete jogos sem triunfar, com quatro empates e três derrotas.

O jogo

O primeiro tempo teve poucos lances de perigo, com os dois times brigando muito pela posse de bola no meio de campo, mas construindo poucas jogadas de ataque. E não foi culpa da névoa, que tomou conta da Arena Condá antes do jogo, mas foi embora aos poucos e permitiu a realização da partida. Faltou, mesmo, criatividade e inspiração para as duas equipes.

Aos 38 minutos, a Chapecoense chegou a balançar as redes em lance polêmico. O goleiro Douglas Friedrich, do Bahia, tentou cortar um cruzamento e acabou sofrendo falta. O árbitro paraense Dewson Freitas da Silva não marcou nada e, mesmo após Henrique Almeida pegar a sobra e completar para o gol, o juiz seguiu sem fazer nenhuma sinalização. No entanto, após a consulta ao árbitro de vídeo, ele constatou falta no goleiro e anulou o gol.

A partida seguiu pouco movimentada na segunda etapa. Mesmo com substituições ofensivas, como as entradas de Arthur Gomes e Diego Torres na Chapecoense, e Fernandão, Shaylon e Clayton no Bahia, os dois times mostraram pouco repertório ofensivo.

A maioria das tentativas de ataque eram em bolas alçadas para a área, nas quais as defesas levavam vantagem, ou em chutes de longa distância, mas sem direção. Dessa forma, o placar final não poderia ser outro senão o empate sem gols.

O Bahia volta a campo no próximo domingo, às 16 horas, quando recebe o Flamengo, na Fonte Nova, em Salvador, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na segunda-feira, dia 5 de agosto, às 20 horas, a Chapecoense enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre.

FICHA TÉCNICA:

CHAPECOENSE 0 X 0 BAHIA

CHAPECOENSE - Tiepo; Eduardo, Gum, Douglas (Maurício Ramos) e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Augusto, Gustavo Campanharo e Camilo (Diego Torres); Henrique Almeida (Arthur Gomes) e Everaldo. Técnico: Emerson Cris.

BAHIA - Douglas Friedrich; Ezequiel, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Flávio e Ramires (Shaylon); Artur, Gilberto (Clayton) e Lucca (Fernandão). Técnico: Roger Machado.

ÁRBITRO - Dewson Fernando Freitas da Silva (PA).

CARTÕES AMARELOS - Ezequiel (Bahia).

RENDA - R$ 113.980,00.

PÚBLICO - 5.780 pagantes.

LOCAL - Arena Condá, em Chapecó (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.