Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Em jogo tumultuado, Fla bate Inter em 8ª vitória seguida e garante folga na ponta

Arbitragem expulsa dois jogadores da equipe gaúcha em partida onde time de Jorge Jesus abre seis pontos de vantagem

Redação, Estadão Conteúdo

25 de setembro de 2019 | 23h56

O Flamengo conquistou a oitava vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro, nesta quarta-feira, ao derrotar o Internacional por 3 a 1, no Maracanã, em duelo válido pela 21.ª rodada. O jogo foi marcado por muita confusão no primeiro tempo, quando dois jogadores do time gaúcho acabaram expulsos.

O triunfo fez o time flamenguista garantir a folga que ostenta na liderança e alcançar os 48 pontos, seis a mais que o Palmeiras, que joga nesta quinta-feira, contra o CSA, no Pacaembu. O Inter está na quarta colocação, com 36 pontos, um atrás do Santos, que está em terceiro lugar e nesta quinta encara o Fluminense, no Maracanã.

O primeiro tempo do duelo desta quarta-feira foi bastante conturbado. O Flamengo teve a iniciativa, o domínio da bola, mas tinha dificuldade para furar o bloqueio do Inter. Aos dez minutos, Rodrigo Moledo sentiu uma lesão muscular e teve de ser substituído por Klaus.

Aos 19, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira marcou pênalti de Bruno em Gabriel. O lateral gaúcho foi expulso. Gabriel bateu com categoria e abriu o placar, ao marcar pela 32.ª vez no ano e pela 18.ª vez no Brasileiro.

Com um jogador a menos, o técnico Odair Hellmann tirou o atacante Nico López para a entrada do lateral Zeca. Com isso, a equipe gaúcha ficou apenas com Guerrero no campo de ataque. O Flamengo ficou muito com a bola, mas não conseguia criar grandes oportunidades.

Aos 38, Everton Ribeiro arriscou fraco de longe e Marcelo Lomba pegou fácil. Na sequência, Guerrero foi derrubado por Rodrigo Caio, mas o árbitro não marcou o pênalti. Aos 41, Rodrigo Caio errou o alvo dentro da pequena área. No minuto seguinte, Arrascaeta cabeceou para fora.

Antes da primeira etapa terminar, Rodrigo Caio e Guerrero disputaram uma jogada aérea. O zagueiro acertou a cabeça do atacante e causou um grande corte. O peruano, que já havia discutido com o árbitro algumas vezes, principalmente no lance do pênalti não marcado, reclamou muito e acabou expulso.

Guerrero perdeu o controle emocional e fez gesto obsceno e de "roubo", assim como voltou ao campo para tentar discutir mais com o juiz, mas é impedido pelos companheiros. O clima fica quente e até o técnico flamenguista Jorge Jesus entra em campo para dar uma dura no lateral Rafinha, que teria discutido com Guerrero.

O começo do segundo tempo foi surpreendente. Sem atacantes, o Inter contou com a garra e a valentia de seus jogadores. Aos quatro minutos, Patrick foi para o campo de ataque, roubou a bola de Willian Arão, ganhou a disputa com Rodrigo Caio e Rodrigo Lindoso. O volante rolou para Edenilson, que bateu firme. A bola desviou em Gerson e "matou" Diego Alves.

Com o empate, o Inter se posicionou na defesa na tentativa de segurar o ímpeto Flamengo, mas não esperava uma falha dupla na defesa. Aos dez minutos, Rafinha cruzou na área e Arrascaeta conseguiu superar Klaus e Zeca e fazer, de cabeça, o segundo gol.

A partir daí, só deu Flamengo. Bruno Henrique (duas vezes), Everton Ribeiro e Gerson tiveram boas chances de ampliar. Era um jogo de ataque contra defesa. E o terceiro gol saiu aos 29 minutos. Novo lançamento na área, Arrascaeta serve Bruno Henrique, que desta vez não errou: 3 a 1.

Os minutos finais o Flamengo abusou do toque de bola e pareceu se resguardar, pois a vitória estava garantida. O Inter ainda teve forças para tentar o segundo gol.

O jogo terminou com o coro de "Mister, Mister" de 60 mil flamenguistas para o técnico Jorge Jesus, que retribuiu acenando para as arquibancadas.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 X 1 INTERNACIONAL

FLAMENGO - Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Mari e Filipe Luís; Willian Arão (Reinier), Gerson, Arrascaeta (Vitinho) e Everton Ribeiro; Gabriel (Berrío) e Bruno Henrique. Técnico: Jorge Jesus.

INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo (Klaus), Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenilson, Nonato (Guilherme Parede) e Patrick; Nico López (Zeca) e Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

GOLS - Gabriel, aos 19 minutos do primeiro tempo; Edenilson, aos 4, Arrascaeta, aos 10, e Bruno Henrique, aos 29 do segundo.

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (SP).

CARTÕES AMARELOS - Willian Arão (Flamengo) e Edenilson (Internacional).

CARTÕES VERMELHOS - Bruno e Guerrero (Internacional).

RENDA - R$ 2.810.435,50.

PÚBLICO - 60.244 pagantes (64.548 ao total).

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.