Em má fase, Jorginho faz duas mudanças para Vasco voltar a jogar bem

Vasco perdeu três dos últimos quatro jogo na Série B

Estadão Conteúdo

21 Outubro 2016 | 17h37

O Vasco liderou a Série B do Campeonato Brasileiro praticamente durante toda a temporada. Agora, faltando apenas sete rodadas para o fim do torneio, se vê no segundo lugar, a quatro pontos do Atlético-GO, e jogando mal. Perdeu três dos últimos quatro jogos e precisa urgente da recuperação para inclusive não sair do G4.

Sabendo que o momento é desconfortável, o técnico Jorginho resolver fazer duas modificações no time titular do Vasco que, no sábado, encara o Paraná. A partida será em Cariacica, no Espírito Santo, onde o clube carioca tem grande torcida, mas o mando de jogo é do time paranaense.

No treino desta sexta-feira, Jorginho sacou Diguinho e Thalles do time titular para as entradas de William e Junior Dutra. Também promoveu o retorno de Douglas, que voltou da seleção sub-20 e retomou seu lugar na equipe. Fellype Gabriel é quem sai.

Acostumado a fechar os treinamentos, Jorginho desta vez não só abriu São Januário à imprensa como confirmou o time que sai jogando: Martin Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio César; William, Douglas, Andrezinho e Nenê; Éderson e Júnior Dutra.

"Mas não tenha dúvida que todos ficam mais tensos por causa do momento, porque possuíamos uma folga muito grande na tabela, principalmente em relação ao quinto colocado. Agora estreitou, então é normal que haja uma apreensão maior. Os jogadores ficam mais quietos. Isso é uma coisa normal no futebol porque a cobrança existe. É normal esse clima de uma preocupação", disse Jorginho, em entrevista coletiva, negando que haja um racha no vestiário.

Ele também afirmou que o Vasco, no momento, deve pensar em garantir o acesso. "Temos que trabalhar com a realidade. Nós estamos a quatro pontos do Atlético-GO. Primeiro precisamos tirar essa diferença. Não tenha dúvida de que Vasco, pelo investimento que fez e pelo time que tem, almejava estar numa situação mais confortável nesse momento, pensando apenas no título. Agora, em primeiro lugar, temos que tirar essa diferença para o líder e garantir o quanto antes a classificação para a primeira divisão. Depois, com esse objetivo atingido e a diferença estando menor, pensaremos no titulo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.