JF Diório/Estadão
JF Diório/Estadão

Em má fase, Wellington é criticado por Ney Franco

Técnico diz que volante tem oscilado muito e cometeu erros determinantes para derrotas do São Paulo

Fernando Faro, Agência Estado

19 de fevereiro de 2013 | 19h04

SÃO PAULO - Titular absoluto no ano passado e apontado como um dos grandes responsáveis pela recuperação do São Paulo na temporada de 2012, Wellington se encontra em uma situação poucas vezes vista no clube e está sendo questionado por causa do baixo rendimento nos primeiros jogos da temporada.

Até mesmo Ney Franco tem criticado o desempenho do atleta e admite que espera mais dele. Perguntado sobre as muitas substituições do volante na temporada, o treinador deixou claro que não está gostando do seu desempenho e que sua apatia foi determinante para algumas derrotas.

"Ele fechou a temporada passada muito bem e oscila agora, errando inclusive em momentos decisivos que acabaram sacramentando derrotas nossas. Ele tem um potencial enorme e pode desempenhar muito mais, mas tenho certeza de que ele vai encerrar o ano novamente muito bem", analisou.

As principais críticas são referentes aos tropeços contra Santos e Atlético-MG. No clássico paulista, Wellington perdeu a bola que originou a jogada do pênalti de Paulo Miranda em Neymar; enquanto na estreia da Libertadores ele não acompanhou Ronaldinho e deixou que o meia cruzasse para Rever marcar o segundo gol dos mineiros. Ganso também estava na jogada e não acompanhou.

O momento ruim pode até custar a vaga de titular ao garoto, fato impensável há alguns meses. Além de Maicon, que vem treinando bem, Ney Franco sinalizou a possibilidade de recuar Jadson para fazer a função de segundo volante de deixar Denilson mais preso à marcação. Fabrício é outro que vem recebendo muitos elogios e pode ter nova chance nos próximos jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.