Diego Haliasz/River Plate
Diego Haliasz/River Plate

Em maratona, Palmeiras vai à semifinal com mais que o dobro de jogos do River

Time alviverde acumula 46 partidas desde a retomada do calendário, enquanto equipe argentina tem só 19

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2021 | 09h00

Sem descanso há meses e com vários jogos acumulados ao longo das últimas semanas, o Palmeiras vai encontrar na semifinal da Copa Libertadores, nesta terça-feira, um adversário em situação oposta. Enquanto o time alviverde entrou em campo 46 vezes desde a retomada do calendário após a paralisação causada pela pandemia, o River Plate só teve 19 compromissos depois que voltou a ter agenda.

A grande diferença se explica porque o futebol na Argentina voltou bem mais tarde. Os times só voltaram a campo para compromissos locais em novembro. Por isso, entre a paralisação do calendário, em março, até o reinício da Libertadores, em setembro, o River Plate passou seis meses sem ter jogos oficiais. O time até conseguiu fazer uma pré-temporada antes do primeiro compromisso.

Apesar de números tão opostos, pelo menos com relação ao tempo de descanso em comparação à última partida o Palmeiras leva vantagem. O time alviverde não joga desde a quarta-feira da semana passada, quando bateu o América-MG, pela Copa do Brasil. No caso do River, o compromisso mais recente foi no sábado, com o empate por 2 a 2 diante do Boca Juniors pela Superliga Argentina.

Entre setembro e outubro, o River Plate só entrou em campo pela Copa Libertadores e disputou um amistoso. Já em novembro, a Superliga Argentina teve início e a equipe perdeu para o Banfield por 3 a 1 no dia 3, a última derrota da equipe. O técnico Marcelo Gallardo até escalou alguns reservas nos compromissos locais e chamou a atenção da imprensa argentina pelo comportamento em algumas das partidas. Em vez do habitual paletó, ele ia a campo com um traje esportivo.

Enquanto isso, o Palmeiras teve um calendário bem mais puxado desde a volta do futebol. A equipe voltou às competições oficiais em julho, com o Campeonato Paulista. Logo depois veio o início do Brasileirão, a estreia na Copa do Brasil e a retomada da Copa Libertadores. Sem ter perdido mata-matas nesta temporada, o clube mantém a chance de título em todos os torneios até agora.

O Palmeiras não tem uma semana livre para somente treinar desde o fim de agosto. Na semana do dia 23 ao 30 daquele mês foi a última vez em que o time não teve compromissos no meio de semana e conseguiu se dedicar exclusivamente ao trabalho com o elenco. Nos últimos meses a rotina da equipe tem sido até mesmo fazer atividades menos intensas na Academia de Futebol para poder recuperar os atletas e diminuir o desgaste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.