Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Em meio à crise, Tiago Volpi ganha moral e pode acabar com trauma pós-Ceni

São Paulo tem sofrido desde 2015 para achar um novo goleiro, mas o drama pode ter chegado ao fim

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2019 | 11h01

Desde 2015, quando Rogério Ceni aposentou, um dos dramas do São Paulo tem sido achar um novo goleiro. Denis, Renan Ribeiro, Sidão e Jean foram testados e reprovados. Assim, a diretoria foi até o México buscar Tiago Volpi e jogo a jogo ele vem demonstrando mais confiança e parece ter sanado o problema da equipe no setor.

Diante do Cruzeiro, por exemplo, ele foi o destaque da partida e admitiu que fez sua melhor partida com a camisa do São Paulo. Foram pelo menos três grandes defesas, que evitaram que o time tricolor perdesse de virada no Pacaembu.

Um exemplo de como Volpi está prestigiado é que em outros protestos da torcida pela má fase do time, os goleiros sempre foram lembrados. Sidão e Denis foram os mais criticados. Dessa vez, os são-paulinos xingaram e protestaram contra dirigentes e vários jogadores, mas Volpi não está na lista.

Com 28 anos, ele tem contrato de empréstimo com o São Paulo até dezembro. Seu vínculo está ligado ao Querétaro, do México. A diretoria tem planos de tentar sua contratação, mas ainda nem entrou em contato com os mexicanos, já que o contrato está longe de terminar e, no momento, o clube vive problemas mais emergenciais.

Outro momento de grande destaque foi na semifinal do Campeonato Paulista, quando pegou dois pênaltis e confirmou sua fama de pegar de penais. Em relação ao momento vivido pelo clube, Volpi mostra confiança e tranquilidade. “Temos que acreditar. Tivemos eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil, mas tudo mudou muito rápido em dez dias. Até jogar o primeiro confronto com o Bahia (pela Copa do Brasil), estávamos brigando pela liderança do Brasileiro e agora parece que nada presta. Sabemos que em uma semana, tudo pode mudar novamente”, comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.