Igor Sasin / AFP
Igor Sasin / AFP

Em meio à desconfiança, Turcomenistão se declara livre do coronavírus e retoma futebol

Campeonato do país recomeçou após um mês paralisado, e com a presença de torcedores nas arquibancadas

AFP, AFP

19 de abril de 2020 | 18h53

Um dos últimos países do mundo há não declarar casos de coronavírus, a ex-república soviética do Turcomenistão reiniciou neste domingo (19) sua temporada de futebol após uma breve suspensão para evitar a propagação da pandemia.

Em meados de março, este país da Ásia Central seguiu a corrente mundial ao suspender seu campeonato de futebol, composto por oito equipes. A federação de futebol seguia as recomendações de seu Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mas, um mês depois, apesar das dúvidas dos observadores estrangeiros sobre a realidade da situação epidêmica no país, a bola já está pronta para voltar a rolar no Turcomenistão.

Cerca de 300 pessoas se reuniram em um estádio com capacidade para 20.000 para assistir neste domingo ao clássico entre os dois clubes da capital, Asjabad: o FK Altyn Asyr, atual campeão nacional, e o Köpetdag, que lidera o campeonato. A partida terminou empatada em 1 a 1.

Mourad, de 60 anos e fanático pelo Köpetdag, lembra que "é um clube lendário, sucessor de uma equipe soviética chamada assim em homenagem a uma propriedade rural coletiva da época".

"O esporte mata todos os vírus! E quando sua equipe ganha, isso reforça a imunidade", brinca, afirmando não ter medo da pandemia, como outros torcedores que o cercam.

O Turcomenistão faz parte das três ex-repúblicas soviéticas, ao lado de Bielorrúsia e do Tajiquistão, que não renunciaram ao futebol durante a crise do coronavírus. Bielorrúsia, que tem 4.779 casos declarados e 47 mortos pelo vírus, foi criticado por ter mantido a presença de torcedores nos estádios.

No Tajiquistão, os jogos são disputados com portões fechados, embora as autoridades, como também acontece no Turcomenistão, garantam que não há casos de coronavírus no país.

Após o empate deste domingo, o FK Altyn Asyr, que significa 'Época Dourada', se tornou o favorito para ganhar o campeonato nacional novamente nesta temporada.

Outro torcedor, Vepa, de 20 anos, diz que "nunca" perde um jogo. É fã do FK Ahal, da província situada aos arredores de Asjabad, de onde vem a família do presidente Gurbangouly Berdymoukhammedov e boa parte da elite do país.

Durante o período soviético, o Turcomenistão não era uma região de grande tradição futebolística. O futebol sequer faz parte das atividades promovidas pelo presidente Berdymoukhammedov, que gosta de passar uma imagem de atleta.

LEVAR PANDEMIA A SÉRIO

Em 7 de abril, Berdymoukhammedov apareceu nas emissoras estatais montando um cavalo e andando de bicicleta para promover a jornada mundial da saúde. Neste dia, milhares de funcionários participaram de exercícios de ginástica publicamente por todo o país.

Estas cenas servem para questionar se a pandemia é levada a sério no país, embora o presidente tenha pedido o reforço das medidas de detecção e prevenção do vírus.

De acordo com a propaganda oficial do governo, Berdymoukhammedov segue sendo o primeiro defensor da saúde de seus cidadãos. Em um poema publicado na sexta-feira (17) no diário estatal, a poetiza Gozel Shagulyyeva descreve o mandatário como "uma fortaleza inexpugnável" e "um protetor que cuida de nossa saúde".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.