Divulgação
Divulgação

Em meio à provocações, Vasco e Flamengo fazem clássico decisivo

No Maracanã, times se enfrentam pelas quartas da Copa do Brasil

Estadão Conteúdo

26 de agosto de 2015 | 06h05

Qualquer Vasco x Flamengo é sinônimo de um clássico cheio de rivalidade, emoção e provocação. E não está sendo diferente para o decisivo duelo desta quarta-feira, às 22 horas, no estádio do Maracanã, no Rio, pela rodada de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. No primeiro jogo, na semana passada, vitória vascaína por 1 a 0, que agora pode empatar para avançar. Os flamenguistas precisam de um triunfo por dois ou mais gols de diferença. Qualquer placar favorável aos rubro-negros por um de vantagem, a decisão irá para a disputa de pênaltis.

No lado do Vasco, o técnico Jorginho preferiu não repercutir as declarações do atacante Paolo Guerrero de que o Flamengo vai "passar por cima" no confronto desta quarta-feira. Pelo contrário, garantiu que a equipe cruzmaltina dará a resposta em campo. "Nossa resposta será em campo. Não gosto de responder jogador. O que queremos é a classificação", declarou o treinador vascaíno, visivelmente incomodado, em entrevista coletiva.

Em péssima fase no Campeonato Brasileiro e com grandes riscos de ser rebaixado, o Vasco tem na Copa do Brasil a chance de minimizar o desastre que vem sendo esse segundo semestre. Para Jorginho, a equipe não pode pensar na vantagem que tem para o confronto de volta.

"A vantagem não é tão grande assim, é muito pequena. Um momento muda completamente a história de uma partida. Temos que entrar campo como se o jogo ainda estivesse 0 a 0. Não vamos ficar o tempo todo nos defendendo. Temos a capacidade de jogar e vamos fazer isso. Precisamos de concentração e dedicação total dos atletas em todos os momentos, independente do que aconteça. O mais importante é manter a postura tática ao longo do clássico", declarou.

No time, as surpresas ficam no banco de reservas. Andrezinho e Luan, recuperados de lesões, voltam; Herrera e Dagoberto, por outro lado, não serão relacionados. "Opção nossa. Achamos que esses jogadores deveriam voltar. Andrezinho tem experiência e Luan é excelente zagueiro, que vai chegar na seleção principal. E optamos por colocar no banco Rafael Silva e Thalles, no lugar de Dagoberto e Herrera. Opcão do treinador e da comissão. Mas quem esta fora está motivado. Todos fazem parte do grupo", explicou Jorginho.

Já no Flamengo, para sua segunda partida à frente do time, o técnico Oswaldo de Oliveira repetiu o mistério da estreia e fechou o treino desta terça-feira à imprensa. Como na preparação para pegar o São Paulo, preferiu não revelar a escalação que entrará em campo.

Oswaldo de Oliveira deve escalar o Flamengo com quase o mesmo time que venceu o São Paulo. As dúvidas ficam por conta dos substitutos do zagueiro Wallace, expulso na ida diante do Vasco, e Alan Patrick, impedido de atuar por já ter vestido a camisa do Palmeiras na competição. O goleiro Paulo Victor, recuperado de lesão e que voltou a treinar normalmente, também pode ser novidade na vaga de César.

Depois da atividade desta terça-feira, o treinador deu entrevista coletiva e exaltou a importância de uma vitória e da classificação diante do Vasco. "É um clássico importantíssimo do Brasil. Faremos o possível para reverter e continuar na Copa do Brasil. Espero que seja um bom jogo tecnicamente e que empolgue a torcida", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilVascoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.