Divulgação/Corinthians
Divulgação/Corinthians

Corinthians confirma BMG como patrocinador e avisa que já recebeu R$ 30 milhões

Diretor de marketing do clube alvinegro e nova parceria citaram a Crefisa, anunciante do Palmeiras, ao confirmar o novo acordo

João Prata, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2019 | 12h57

O Corinthians confirmou nesta quinta-feira o banco mineiro BMG como novo patrocinador master. A coletiva para dar detalhes da nova parceria acontecerá na próxima terça-feira, com a presença do presidente do clube, Andrés Sanchez, e um representante do BMG.

O diretor de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, informou por meio de vídeo na TV Corinthians  que já recebeu uma parte do valor combinado."O quanto o Corinthians vai fazer de arrecadação não tem limites. Mas um bom indicador de quanto o banco confia no sucesso disso é que nós já estamos recebendo adiantado, à vista, por conta desse resultado fantástico, R$ 30 milhões."

Também aproveitou para provocar o rival Palmeiras, que tem como patrocinador a Crefisa, concorrente do BMG na área de crédito consignado.  "Nós queríamos alguém que fosse parceiro do clube. Alguém que viesse para a nossa camisa não porque tem ambições políticas dentro do clube", provocou em referência a Leila Pereira, hoje presidente da Crefisa, e que tem pretensões de comandar o clube alviverde.

Márcio Alaor, executivo do banco BMG, que estava ao lado de Rosenberg no vídeo, informou que os torcedores podem contribuir para maior arrecadação do clube. "O Corinthians vai ganhar também. Se eles (torcedores) abrirem conta conosco, aplicarem, aderirem a produtos, certamente isso vai ter retorno para o clube" . E concordou com o diretor corintiano: "Não temos ambição política nenhuma".

NAS REDES - As provocações, no entanto, estão nas redes sociais desde a tarde de quarta-feira. O BMG passou a fazer posts em referência à parceira palmeirense. O banco mineiro disse que se batesse a marca de 21 mil curtidas, o número de seguidores da Crefisa na ocasião, anunciaria uma novidade às 12h30 desta quinta. A Crefisa respondeu: "a cor da inveja está tirando o seu sono?".

No início da tarde, o BMG bateu 60 mil seguidores e, conforme o prometido, confirmou o acerto com uma mensagem enigmática: "não é só patrocínio". A expectativa é que a parceria ajude também o clube a contratar reforços e também arcar com despesas como o salário dos jogadores.  

META BATIDA - Ao acertar com seu patrocinador master, o Corinthians atingirá a meta de valor estipulada para este ano com patrocinadores. A parceria será de dois anos, até o término do mandato do presidente Andrés Sanchez, e deve render por volta de R$ 30 milhões/ano ao time alvinegro.

O clube já tinha garantida a arrecadação de R$ 20 milhões do acordo com a Nike e mais R$ 15 milhões com outros três anunciantes menores: Poty, que estampa a parte de trás do calção; Universidade Brasil, no ombro; e PES, na barra da camisa. Tudo somado dá cerca de R$ 65 milhões. A diretoria estipulou arrecadar R$ 64 milhões em patrocínios na atual temporada. 

O uniforme do Corinthians ainda tem potencial para render um total de R$ 80 milhões, de acordo com fontes do mercado. Ainda há três espaços a serem preenchidos na camisa. A parte que fica em cima do número, nas costas, deverá continuar com a Positivo. Faltam detalhes para a renovação. O marketing do Corinthians  também está negociando com outra empresa para estampar a barra de trás da camisa. O acordo estaria adiantado e pode ser fechado na próxima semana. Com isso, restará só a manga. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.