Em Milão, Napoli bate o Milan e segue 100% na Itália

Em mais uma grande atuação neste início de temporada, especialmente no primeiro tempo, o Napoli segue com campanha perfeita no Campeonato Italiano. No encerramento da quarta rodada, o time napolitano derrotou o Milan por 2 a 1, em pleno estádio San Siro, em Milão, e manteve os 100% de aproveitamento. Com 12 pontos, lidera a competição ao lado da Roma, que mais cedo ganhou o clássico romano contra a Lazio por 2 a 0. A equipe da casa, com um péssimo começo de competição, está apenas na 12.ª colocação, com 4 pontos.

AE, Agência Estado

22 de setembro de 2013 | 18h24

De forma avassaladora nos primeiros minutos, o Napoli não deu chances ao Milan, mesmo jogando fora de casa. Com uma forte marcação sob pressão na defesa milanista, o time visitante criou chances e conseguiu abrir o placar logo aos seis minutos. Insigne cobrou falta pela direita e a bola foi para a segunda trave, onde Albiol escorou de cabeça para o meio e o zagueiro Britos apenas cabeceou para o gol.

Com a vantagem, o Napoli preferiu se fechar um pouco e atuar mais na base dos contra-ataques. Alguns levaram perigo à defesa do Milan. No setor ofensivo, o time da casa sofria com a pouco inspiração de seus atacantes, sobretudo de Balotelli, que não estava em uma boa noite.

Na segunda etapa, quando parecia que o Milan teria uma postura diferente e seria mais efetivo no ataque, o Napoli tratou de esfriar as coisas com o segundo gol. Aos 8 minutos, o centroavante argentino Higuaín recebeu na entrada da área, pelo lado esquerdo, e chutou forte e rasteiro. Abbiati tentou espalmar, mas a bola entrou no seu ângulo direito.

Para provar que a noite realmente não era boa para o Milan, um fato inédito aconteceu aos 17 minutos. Após sofrer pênalti de Albiol, Balotelli foi para a cobrança com a confiança de quem nunca errou uma penalidade na carreira. Pois, depois de 26 acertos, o atacante viu a sua série ser quebrada na defesa de Reina, que conseguiu espalmar a bola para escanteio.

O erro foi um balde de água fria para o Milan. Desorganizado em campo, nem mesmo a entrada do atacante brasileiro Robinho ajudou. O Napoli foi perigoso nos contra-ataques e só tomou um susto quando Balotelli conseguiu diminuir aos 46 minutos. E, depois do apito final, o atacante do Milan resolveu reclamar com o árbitro e como já tinha um cartão amarelo, acabou expulso.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato ItalianoMilanNapoli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.