Em Minas, Flamengo busca reabilitação contra Cruzeiro

Depois da desastrosa derrota para o Corinthians por 3 a 0, no Engenhão, o Flamengo busca a reabilitação neste domingo contra o Cruzeiro, às 16 horas, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 11.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O restante da semana não foi fácil para o grupo. Não bastasse a pressão da torcida, maior a cada dia, o clube foi rejeitado pelo meia argentino Riquelme, assustado com a atuação do time na rodada do meio de semana. O técnico Joel Santana, mais uma vez, "balança" no cargo.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

22 de julho de 2012 | 09h07

Enquanto Vasco, Fluminense e Botafogo disputam as primeiras posições, o clube rubro-negro está no meio da tabela de classificação, com 15 pontos em 30 disputados. Há campanhas piores, mas o que tem preocupado a torcida é o futebol dentro de campo. O atacante Vágner Love, por exemplo, não conseguiu sequer chutar a gol no último jogo. "A bola não chega, aí fica complicado", reclamou, após o apito final.

Desde que voltou ao Flamengo para substituir Vanderlei Luxemburgo, demitido, Joel Santana nunca esteve 100% seguro no comando da equipe. No Brasileirão, a situação tem piorado e cada jogo pode ser o último. Na tentativa de reverter o quadro, o treinador pode escalar o jovem Adryan no ataque, em lugar de Hernane, que não jogou bem contra o Corinthians - como toda a equipe. Lances infantis de jogadores experientes, como Renato Abreu e Botinelli, ajudaram a afundar a equipe.

Também revelado pelas categorias de base do clube e tido como revelação, o meia Thomás voltou a ser relacionado pelo técnico. Depois de algumas partidas sob o comando de Joel Santana, o atleta chegou a ser rebaixado para o time de juniores. No último treino antes da viagem a Belo Horizonte, no entanto, Thomás fez boas jogadas pelo time reserva. Ele comemorou a volta ao time pelo Twitter: "Voltei a ser relacionado! Muito feliz!".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.