Em Minas, tumulto na venda de ingressos

Tumulto, atrasos e muita reclamação dos torcedores marcaram hoje o início da venda antecipada de ingressos para a partida entre Brasil e Argentina, dia 02 de junho, no Mineirão, pelas eliminatórias da Copa do Mundo 2006. Dos cerca de 40 mil ingressos disponíveis, 28 mil já haviam sido vendidos até o início da noite. As bilheterias seriam abertas somente às 9h de hoje, mas no final da tarde de ontem já haviam filas nos quatro postos de venda instalados na capital mineira. Centenas de torcedores passaram a noite nos locais de comercialização, mas em dois postos o sacrifício se estendeu durante todo o dia, já que houve atraso na abertura das bilheterias. No posto de venda instalado no estádio da Pampulha, a venda teve início somente cinco horas depois do horário previsto. No Minas Tênis Clube, o atraso foi de três horas. De acordo com os organizadores, houve um problema nas linhas telefônicas do clube mineiro, enquanto no Mineirão, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) realizou hoje um corte na energia do estádio. O procedimento de manutenção que, segundo a Cemig, já estava previsto, impediu a emissão dos tickets. Muitos torcedores ficaram revoltados com a demora e houve um princípio de tumulto. Policiais militares chegaram a usar bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a confusão. Não havia informações sobre feridos. A venda estava limitada a cinco ingressos por pessoa, mediante a apresentação do Cadastro de Pessoa Física (CPF), uma iniciativa para tentar impedir as fraudes e coibir a ação de cambistas. Os preços variavam de R$ 30 a R$ 150. A venda on-line terminou poucas horas depois de iniciada, ainda na segunda-feira. Segundo a BWA Tecnologias e Sistemas Ltda., empresa responsável pela comercialização, cerca de 950 ingressos foram vendidos pela internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.