Vítor Silva/BFR
Vítor Silva/BFR

Em momentos opostos, Botafogo e Fortaleza se enfrentam no Engenhão

Time carioca busca manter boa sequência na temporada contra equipe cearense neste domingo no Rio de Janeiro

Redação, Estadão Conteúdo

15 de maio de 2022 | 09h00

Embalado com a sequência positiva, após reforçar o elenco, o Botafogo tenta engrenar no Campeonato Brasileiro a partir do confronto contra o Fortaleza, marcado para este domingo, às 18h, no Engenhão, pela sexta rodada.

O time carioca não perde há quatro rodadas, sendo que na última bateu o Flamengo por 1 a 0, no Mané Garrincha. No Brasileirão, tem oito pontos, e está de olho nas primeiras posições. O bom momento reflete na Copa do Brasil, com o time presente nas oitavas de final após eliminar o Ceilândia com duas vitórias por 3 a 0.

O Fortaleza, por outro lado, não vem bem e segura a lanterna do Brasileirão, com apenas um ponto, pior momento do time com Juan Vojvoda no comando. Na Copa do Brasil, assim como seu rival, também se garantiu nas oitavas de final.

O técnico Luís Castro deve seguir no embalo do bom momento do Botafogo e mexer o mínimo possível no time. A principal dúvida do treinador está no ataque. Dois atacantes devem jogar entre Gustavo Sauer, Diego Gonçalves, Matheus Nascimento e Victor Sá.

O treinador ainda ganhou uma dor de cabeça no meio da semana. Patrick de Paula fez bom jogo contra o Ceilândia e pode pintar entre os titulares. Ele briga por posição com Tchê Tchê. "Quando nós jogamos quarta e domingo, as coisas ficam bem. Quando há intervalos vai se conseguindo recuperar a equipe. Nosso problema é que não estamos muito tempo juntos. Quando já temos pré-temporada feita e os jogos são quarta e domingo tem processos já adquiridos. Mas do jeito que está faz com que tenhamos desconfortos porque há coisas que não estão bem consolidadas na equipe", explicou Castro.

Do outro lado, Juan Vojvoda precisará colocar o que tem de melhor para tirar o Fortaleza da última posição. O treinador não poderá contar ainda com o goleiro Fernando Miguel, vetado pelos médicos.

"Vamos colocar a cabeça no Brasileirão. Temos um adversário como o Botafogo, temos que planejar bem a partida, ter estratégia e começar nosso caminho no Brasileirão, que é a competição que nos levou à Libertadores. É uma competição longa, mas temos, como sempre, a responsabilidade de encarar cada partida", analisou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.