Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Em noite dedicada a Bruninho, Marinho encerra jejum e Santos vence Red Bull Bragantino

Vitória leva o time de Fábio Carille aos 38 pontos e traz alívio na briga contra o rebaixamento neste final de campeonato

Bruno Accorsi, Estadão Contéudo

10 de novembro de 2021 | 21h07

Após ser palco da derrota por 2 a 0 para o Palmeiras e do ataque sofrido pelo torcedor Bruninho, de apenas 9 anos, a Vila Belmiro teve outra atmosfera nesta quarta-feira. Com o garoto hostilizado como convidado especial no estádio, o Santos venceu o Red Bull Bragantino por 2 a 0, em jogo válido pela 31ª rodada do Brasileirão, graças a gols marcados por Marinho, que celebrou o fim de um jejum que já durava 16 partidas, e Carlos Sánchez.

A vitória leva o time comandado por Fábio Carille aos 38 pontos e traz um pouco de alívio na briga contra o rebaixamento neste final de campeonato. A posição vai depender de jogos que serão realizados ainda nesta noite, mas a reação rápida logo após a derrota para o rival no sábado já serve para renovar a esperança dos torcedores. O Red Bull, por sua vez, fica com 49 pontos, ainda dentro do G6. Esta foi a primeira derrota do time de Bragança Paulista para um dos quatro grandes de São Paulo no Brasileirão.

Antes de a bola rolar, os holofotes se voltaram ao pequeno Bruninho, torcedor de 9 anos hostilizado por torcedores adultos nas arquibancadas da Vila após pedir e receber uma camisa do goleiro Jailson, do Palmeiras, no clássico do final de semana. O pequeno santista, também jogador da base do clube, recebeu uma camisa das mãos de Edu Dracena, gerente de futebol do Santos, e assistiu o jogo do camarote. 

O caso comoveu toda a comunidade do futebol, tanto que personalidades como Tite, Neymar e Pelé mandaram mensagens de apoio ao garoto. O próprio Red Bull Bragantino, adversário desta noite, mostrou solidariedade e também o presenteou com uma camisa. O menino ainda aumentou a coleção com um modelo da seleção, doada pelo palmeirense Weverton, e espera outra do Olympique de Marseille, direto da França, conforme prometido por Jorge Sampaoli, ex-técnico santista.

Do camarote, Bruninho viu o Santos fazer um bom primeiro tempo, com Gabriel Pirani no time titular. O meia foi desfalque por quatro partidas e jogou apenas 20 minutos contra o Palmeiras, na rodada passada. Em campo desde o início nesta quarta, deu velocidade ao time na transição entre o meio e o ataque, movimentando-se bem sem a bola e acelerando as jogadas ofensivas.

Um pouco mais à frente, pelo lado esquerdo, Lucas Braga também se destacou, como protagonista de um duelo constante com o lateral Aderlan. Nas vezes em que venceu o adversário, criou boas jogadas. Além disso, foi o autor de uma das boas finalizações santistas. O gol, contudo, saiu dos pés de Marinho, que não balançava a rede há 16 jogos, desde julho. 

O fim do jejum começou a nascer lá atrás, quando Pirani saiu tocando do campo de defesa e avançou até ser desarmado perto da entrada da área. Tardelli ficou com a sobra, chutou forte e viu Cleiton espalmar para frente, onde estava Marinho, pronto para se jogar de peixinho e marcar, antes de levar as mãos ao rosto, emocionado e aliviado. O Bragantino, que encontrou espaços em lances pontuais enquanto o jogo estava empatado, passou a frequentar mais o campo de ataque, mas sem levar muito perigo.

No segundo tempo, Pirani continuou liderando o meio de campo santista. O Bragantino, no entanto, já não deixava o time de casa ficar mais tanto tempo com a bola. Com isso, os visitantes aumentaram a posse e passaram a ter mais volume no campo de ataque, inclusive com boas investidas que levaram perigo.

Os último minutos da etapa final foram de um jogo aberto, com o Red Bull agredindo no ataque e o Santos respondendo quando conseguia encaixar o contra-ataque. No fim das contas, um pênalti sofrido por Marinho, em noite de redenção, e convertido por Carlos Sánchez, que entrou no lugar de Felipe Jonatan, garantiram a vitória santista. 

O Santos volta a campo no próximo sábado, quando abre a 32ª rodada em jogo contra o Atlético-GO, no Antônio Accioly, marcado para as 17 horas. No mesmo dia, às 19 horas, o Red Bull Bragantino recebe o Fortaleza no Nabi Abi Chedid. 

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 0 RED BULL BRAGANTINO

SANTOS - João Paulo; Danilo Boza, Luiz Felipe (Robson) e Kaiky ; Marcos Guilherme, Vínicius Zanocelo, Gabriel Pirani (Vinícius Balieiro) e Felipe Jonatan (Carlos Sánchez); Marinho, Diego Tardelli (Moraes) e Lucas Braga (Ângelo). Técnico: Fábio Carille.

RED BULL BRAGANTINO - Cleiton; Aderlan, Fabrício Bruno, Natan e Edimar; Jadsom Silva (Emiliano Martínez), Eric Ramires e Cuello (Gonzalo); Artur, Ytalo (Alerrandro) e Helinho (Gabriel Novaes). Técnico: Maurício Barbieri. 

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (RS)

CARTÕES AMARELOS - Jadsom Silva, Vinícius Zanocelo e João Paulo.

GOL - Marinho, aos 27 minutos do primeiro tempo. Carlos Sánchez, aos 47 minutos do segundo tempo. 

RENDA - R$ 184.250,00

PÚBLICO - 9.443

LOCAL - Vila Belmiro, em Santos (SP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.