Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
AFP
AFP

Em noite histórica para Wenger, Arsenal quebra série invicta do Crystal Palace

Técnico igualou recorde histórico de Sir Alex Ferguson: 810 partidas pelo Campeonato Inglês

Estadão Conteúdo

28 de dezembro de 2017 | 20h06

A quinta-feira era histórica para Arsène Wenger. E o Arsenal deu uma razão extra para o treinador francês celebrar. Encerrou a série invicta do Crystal Palace e ganhou por 3 a 2, fora de casa, em Londres, em duelo válido pela 20.ª rodada do Campeonato Inglês - a primeira do returno.

+ Confira a classificação do Campeonato Inglês

Não bastasse o triunfo, que deixou a sua equipe na sexta colocação com 37 pontos, Arsène Wenger igualou nesta quinta-feira um recorde histórico de Sir Alex Ferguson: tornou-se o treinador que mais vezes esteve à beira do gramado na competição, com 810 partidas.

Se a noite era de comemoração pessoal, o duelo prometia ser difícil. Depois de um início desastroso na competição, o Crystal Palace mudou radicalmente desde a chegada de Roy Hodgson, ex-técnico da seleção inglesa. Acumulou uma sequência invicta de oito jogos, deixou a zona de rebaixamento e chegou com ânimo - e 18 pontos - para encarar o Arsenal.

Mas o adversário, mesmo fora de casa, fez valer o peso da camisa. Foi melhor desde o início, contando com a boa movimentação de seus jogadores ofensivos como Özil, Alexis Sánchez e Lacazette e controlou o jogo no primeiro tempo.

A equipe de Arsène Wenger, assim, abriu o placar aos 24 minutos. O gol, porém, foi confuso. Após cobrança de falta, a zaga tirou mal, Lacezette recebeu na direita, teve o cruzamento bloqueado, aproveitou a sobra e chutou para a boa defesa do goleiro argentino Julián Speroni. Mas, novamente, o Arsenal ganhou o rebote e Mustafi bateu rasteiro para as redes.

Nada mudou após o gol: o Crystal Palace pouco criava e o Arsenal dominava com certa facilidade. Só não chegou logo ao segundo gol porque Julián Speroni vivia noite inspirada e se consagrava como o melhor jogador de sua equipe.

A excelente fase do Crystal Palace parecia, enfim, que prevaleceria no início do segundo tempo, quando Townsend aproveitou cruzamento rasteiro e bateu firme para empatar.

A quinta-feira, contudo, era mesmo de Arsène Wenger - e também de Alexis Sánchez. Primeiro, aos 17 minutos, o atacante chileno aproveitou passe de Lacazette e fez o segundo de sua equipe. E, apenas três minutos depois, após receber bom lançamento, ele ganhou na corrida, tocou na saída de Julián Speroni e decretou o triunfo. Nem mesmo o gol de James Tomkins, marcado já aos 44, diminuiu a festa do Arsenal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.