Palmeiras lamenta morte de torcedor e nega demora no socorro

A direção do Allianz Parque divulgou nota oficial nesta sexta-feira e confirmou a morte do torcedor do Fluminense Flávio Mendes. O tricolor de 51 anos sofreu um enfarte no estádio após a disputa de pênaltis que selou a eliminação do clube carioca e a classificação do Palmeiras para a final da Copa do Brasil, na última quarta.

Estadão Conteúdo

30 de outubro de 2015 | 15h41

"O Allianz Parque lamenta o falecimento de Flávio Mendes, ocorrido nesta quinta-feira, 29, na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Mendes passou mal nas dependências da arena, logo após a partida Palmeiras x Fluminense, realizada na quarta-feira, 28, pela semifinal da Copa do Brasil. O atendimento ao torcedor fluminense foi realizado pelos brigadistas e pela equipe de serviços médicos contratada pela Sociedade Esportiva Palmeiras, para a operação do jogo", diz a nota.

Um vídeo gravado por torcedores pouco depois do incidente mostra o torcedor sendo levado por médicos em uma maca. Flávio chegou a ser internado no hospital Santa Casa de Misericórdia, em São Paulo, mas não resistiu e morreu na última quinta.

Horas depois da fatalidade, uma série de relatos dos presentes davam conta de uma possível negligência por parte do atendimento. Outros torcedores afirmaram que os bombeiros demoraram para prestar os primeiros socorros e teriam, inclusive, chegado ao local sem uma maca, que não sabiam onde encontrar. A direção do Allianz Parque, no entanto, negou esta versão.

"Cabe informar que, entre o primeiro alerta de que o torcedor passava mal e a chegada da primeira equipe ao local, passou-se menos de um minuto (40 segundos, conforme pôde ser comprovado pelo sistema de segurança da arena). E que, quando deixou as dependências do estádio, em UTI Móvel, o torcedor já estava monitorado e medicado", afirmou.

O Palmeiras também se pronunciou sobre a morte do torcedor: Leia a nota completa:

A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público esclarecer o ocorrido na noite da última quarta-feira (28), no Allianz Parque, quando o Sr. Flávio Mendes passou mal após a semifinal da Copa do Brasil.

1) Não procedem as afirmações de que houve negligência e atraso no atendimento ao torcedor. Do instante em que policiais militares foram avisados do ocorrido (00h22m54) passaram-se apenas 24 segundos até a chegada do primeiro bombeiro civil ao local (00h23m18), conforme registro das câmeras internas do estádio.

2) São inverídicos os relatos de que os profissionais que prestavam socorro levaram tempo exagerado na localização da maca naquele setor.  Após identificada a necessidade de remoção do Sr. Flavio Mendes para o ambulatório (00h25m26), foram decorridos exatos 45 segundos até o retorno de um dos atendentes com o equipamento (00h26m11).

3) As constatações acima estão todas comprovadas com imagens obtidas pelo sistema de câmeras de segurança do Allianz Parque.

4) O clube reitera comunicado divulgado na noite de ontem (29) em que afirma peremptoriamente que o Sr. Flávio Mendes recebeu pronto atendimento após as equipes de socorro terem sido contatadas. O torcedor foi encaminhado ao ambulatório, realizou exames e constatou-se que não houve parada cardiorrespiratória. Em seguida, deixou o estádio consciente e em diálogo com os profissionais que o acompanharam na ambulância até a chegada à Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, que passou a cuidar do caso.

5) A Sociedade Esportiva Palmeiras lamenta profundamente o falecimento do torcedor do Fluminense e se solidariza com a dor de familiares e amigos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.