Wilton Junior/Estadão - 13/03/2014
Wilton Junior/Estadão - 13/03/2014

Em nota, 14 equipes do Rio dizem que Fla e Flu têm 'alucinação moral'

Grupo afirma que todas as decisões referentes ao Carioca 'obedeceram ditames e regulamentos aprovados unanimemente

Estadão Conteúdo

30 de janeiro de 2015 | 21h13

Os demais 14 clubes da primeira divisão do Campeonato Carioca, entre eles Botafogo e Vasco, soltaram nota conjunta na noite desta sexta-feira, publicada no site da Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj) para rebater o comunicado divulgado mais cedo por Flamengo e Fluminense. Além de repudiar o texto das diretorias rubro-negra e tricolor, os rivais enxergam nelas uma "alucinação moral".

"Trata-se de evidente caso de alucinação moral, numa tentativa de subverter a ordem e desinformar a opinião pública a respeito de todas as decisões emanadas em relação aos campeonatos dos quais todos têm participado ao longo dos anos", alegam os 14 clubes da primeira divisão. Mais cedo, Fla e Flu também afirmaram que a Ferj tentava desinformar a opinião pública.

O rivais das Laranjeiras e da Gávea se uniram contra o tabelamento do preço dos ingressos do Campeonato Carioca, que os impediria de jogar no Maracanã, cujo custo operacional não seria coberto pelos valor das entradas. Fla e Flu também reclamam da inexistência do "mando de campo", cabendo à Ferj determinar onde acontecerão as partidas.

À tarde, os 16 clubes da primeira divisão se reuniram para mais um Conselho Arbitral e o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, deixou o encontro reclamando ter sido ofendido pelo presidente da Ferj, Rubens Lopes. Segundo o dirigente rubro-negro, Rubinho ofendeu sua mãe e sugeriu que ele colocasse a nota oficial em local impublicável.

Após o Arbitral, os demais clubes do Carioca soltaram nota criticando Flamengo e Fluminense. Alegam que os rivais "fogem da verdade na acusação de postura ditatorial imposta pela FERJ, uma vez que todos os regulamentos são discutidos e aprovados única e exclusivamente pelos clubes participantes das respectivas competições".

A reclamação de Flamengo e Fluminense é que a Ferj faz valer as vontades de Eurico Miranda, presidente do Vasco, e ligado a Rubinho. O dirigente vascaíno bate o pé a favor da inexistência do mando e exige que a torcida cruzmaltina fique no setor Sul do Maracanã nos clássicos. O Fluminense tem contrato com o Consórcio Maracanã para utilizar exclusivamente o setor.

"Não houve qualquer irregularidade ou ilegalidade já que as decisões, todas, obedeceram rigorosamente os ditames estatutários e dos regulamentos aprovados de forma unânime, por todos os clubes", rebatem os demais 14 times.

"Os clubes signatários deste documento sentem-se agredidos com as inverdades, insinuações, incitação pública e leviandades praticadas pelos dois únicos descontentes, cujo conceito de entendimento para os mesmos restringe-se à obediência às suas ideias, independentemente de serem democraticamente aprovadas ou não", continua a nota.

O comunicado, assinado, entre outros, pelo Botafogo, ainda ironiza, nas entrelinhas, a situação financeira do Fluminense. "Entendemos que os torcedores deveriam fiscalizar rigorosamente os descalabros administrativos de dirigentes desses clubes que os colocam na condição de inadimplentes e devedores contumazes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.