Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Em nota, Fluminense repudia a expulsão de Fernando Diniz diante do Bahia

Treinador entrou no campo da Arena Fonte Nova para reclamar com o árbitro Igor Junio Benevenuto

Redação, Estadão Conteúdo

27 de maio de 2019 | 21h37

A diretoria do Fluminense emitiu, nesta segunda-feira, uma nota na qual repudiou a expulsão do técnico Fernando Diniz na derrota para o Bahia, por 3 a 2, em Salvador, no domingo, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador entrou no campo da Arena Fonte Nova para reclamar com o árbitro Igor Junio Benevenuto.

Diniz reclamou de uma falta sofrida pelo atacante Pedro na origem do lance que resultou no toque de mão de Gilberto e a consequente marcação de pênalti ao time da casa. "Foi falta clara no meu jogador, um absurdo você não checar. Eu posso entrar no campo e reclamar, sim. É meu direito, você é obrigado a me ouvir, você agora está satisfeito com o que fez?", escreveu o juiz na súmula, ao relatar a fala do treinador do time carioca.

Nesta segunda-feira, porém, o clube das Laranjeiras destacou, por meio da nota oficial que publicou em seu site: "O Fluminense Football Club repudia a injusta expulsão imposta ao técnico Fernando Diniz na partida do último domingo, contra o Bahia, na Arena Fonte Nova. Como é possível verificar na súmula da partida, o treinador não proferiu palavrões e, tampouco, faltou com educação ao árbitro Igor Benevenuto".

"É de se ressaltar que ao se dirigir ao centro de campo para cumprimentar a arbitragem, os técnicos não recebem punição. Ao buscar um esclarecimento, de forma natural e educada sobre qualquer marcação, o treinador é punido de forma intransigente. Em momento algum, vale frisar, Fernando Diniz questionou a marcação do VAR no lance do pênalti que originou o terceiro gol do Bahia", reforça a nota.

Em seguida, o Fluminense finaliza que a decisão do juiz teve efeito duplamente negativo para o time dentro de campo. "A reclamação se deu por uma falta clara sofrida pelo centroavante Pedro, ainda no meio de campo, antes da jogada que originou a penalidade contra o Fluminense. Ao ignorar essa ocorrência, a arbitragem puniu duplamente, em um único lance, o Tricolor. Primeiro com um pênalti marcado e a seguir com a expulsão do goleiro Agenor. Ainda, ao fim do jogo, o árbitro aplicou o cartão vermelho de forma direta ao técnico do clube", finaliza.

COPA SUL-AMERICANA 

O Fluminense volta a campo nesta quarta-feira, em Medellín, para o jogo de volta da segunda fase da Copa Sul-Americana, diante do Atlético Nacional. Allan e Luciano não participaram da derrota para o Bahia por estarem suspensos. Airton se recuperou de lesão muscular. Os três jogam na Colômbia.

Pedro, Léo Artur, Ewandro, Kelvin e Yuri não estão inscritos no torneio continental. Marcos Paulo, convocado para a seleção sub-23 para uma competição amistosa na França, estão fora.

Após vencer no Rio por 4 a 1, o Fluminense pode perder por até dois gols de diferença que garante vaga na próxima fase da Sul-Americana. Quem avançar encara o vencedor de Peñarol x Deportivo Cali no estágio seguinte do torneio.

Tudo o que sabemos sobre:
FluminensefutebolFernando Diniz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.