Em nota, Grêmio garante segurança ao Cruzeiro no RS

Depois do clima de hostilidade ao final do jogo de quarta-feira, entre Cruzeiro e Grêmio, em Belo Horizonte, o presidente do clube gaúcho divulgou nota nesta sexta-feira para garantir segurança ao adversário e a sua torcida para a partida de quinta, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre.

AE, Agencia Estado

26 de junho de 2009 | 18h41

Após a vitória do Cruzeiro por 3 a 1, na partida de ida da semifinal da Copa Libertadores, o volante Elicarlos acusou o atacante Maxi López, do Grêmio, de racismo. Na sequência, os dois jogadores prestaram depoimento na delegacia. No dia seguinte, a Polícia Civil de Minas Gerais instaurou inquérito para apurar a denúncia.

Para acalmar os ânimos, Duda Kroeff, presidente do Grêmio, veio a público para garantir segurança ao rival. "O Grêmio Foot Ball Porto Alegrense assegura, reitera e garante ao Cruzeiro E.C e sua torcida que absolutamente toda a segurança será levada a efeito na próxima semana, na decisiva partida das semifinais da Copa Libertadores 2009", divulgou o dirigente.

Sem defender Maxi López, o dirigente disse que o clube sempre respeitou os seus adversários. "O Grêmio, em toda sua existência de mais de cento e seis anos, sempre pautou sua postura pela relação respeitosa com seus adversários, nos mais diversos certames que disputou e disputa", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.