Santa Cruz e Campinense decidem a Copa do Nordeste

Jogo de ida é no Arruda, em Pernambuco, hoje

Estadão Conteúdo

27 de abril de 2016 | 07h20

Novo representante da elite do futebol brasileiro nesta temporada, o Santa Cruz busca o seu primeiro título na Copa do Nordeste, competição que dá ao vencedor uma vaga na Copa Sul-Americana de 2016. Tanto que faz diante do Campinense nesta quarta-feira, às 21h45, no estádio do Arruda, no Recife, a partida de ida da grande decisão. A Raposa, como é conhecido o time paraibano, levantou a taça em 2013 e busca o bi, após passar por adversários que eram cotados como favoritos. O regulamento prevê saldo de gols e gol fora como critérios de desempate em caso de igualdade em pontos.

O Santa Cruz está com calendário cheio. Tem participado de três competições ao mesmo tempo. No Campeonato Pernambucano, faz a final contra o rival Sport. Na Copa do Brasil, passou pelo Rio Branco-ES e aguarda o confronto diante do Vitória da Conquista-BA, enquanto que na Copa do Nordeste chegou até agora depois de passar pelo Bahia, time que até então estava invicto e com a melhor campanha.

O Campinense vive situação semelhante. É semifinalista - pega o CSP - do Campeonato Paraibano, na Copa do Brasil deu de cara com o Cruzeiro e segurou um empate suado no jogo de ida por 0 a 0, em Campina Grande (PB) - o jogo de volta será disputado apenas no dia 5 de maio. Na Copa do Nordeste, eliminou o Sport, outro time que disputa a elite do futebol brasileiro, nas penalidades máximas.

O CAMINHO

Sob o comando do treinador Marcelo Martellotte, o Santa Cruz vem de uma campanha instável na primeira fase, classificando-se apenas pelo índice técnico na vice-liderança do Grupo C, com 10 pontos, atrás do Bahia, que fez 18. Foi Milton Mendes assumir que tudo mudou. O time pernambucano fez partidas impecáveis nas quartas de final contra o Ceará - 2 a 1, no Recife, e 1 a 0, em Fortaleza. E nas semifinais passou pelo Bahia - 2 a 2, em casa, e 1 a 0, em plena Arena Fonte Nova, em Salvador. Chega na final trazendo junto de si todo o favoritismo.

Desde o início, o Campinense era tratado como zebra, mas não deu brecha para o azar. Acabou a fase de grupos invicto com 16 pontos, na liderança do Grupo A. Nas quartas, derrotou o Salgueiro, fora, por 2 a 0, mas perdeu em casa por 2 a 1. Na somatória dos resultados, se classificou e encontrou o Sport nas semifinais. Perdeu na Ilha do Retiro por 1 a 0, porém reverteu em casa e conquistou a vitória nos pênaltis, por 3 a 1.

TUDO PRONTO?

O técnico Milton Mendes adiantou que colocará em campo o mesmo time que eliminou o Náutico na semifinal do Campeonato Pernambucano. O único desfalque é o meia João Paulo, que segue no departamento médico. Com isso, a equipe segue no formato 4-5-1, com apenas o atacante Grafite no setor ofensivo. O técnico Francisco Diá ainda não sabe se poderá contar com o zagueiro Joécio. Ele viajou, mas será reavaliado antes do confronto diante do Santa Cruz para saber se terá condições de jogo. Por outro lado, Rodrigão, com oito gols, está confirmado. Ele é o artilheiro da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.