Em Piracicaba, Palmeiras estréia sua nova linha ofensiva

Diego Souza e Lenny são as esperanças do time de Luxemburgo para marcar gols contra o Ituano, às 19h30

Juliano Costa, Jornal da Tarde

29 de janeiro de 2008 | 23h05

Saudosos do tempo em que o XV de Novembro era uma força do interior paulista, os torcedores de Piracicaba terão o privilégio de ver nesta quarta-feira a estréia da nova linha ofensiva do Palmeiras, com Valdivia, Diego Souza, Lenny e Alex Mineiro. O adversário é o Ituano e o jogo começa às 19h30 - com transmissão online do estadao.com.br -, no estádio do XV, o Barão de Serra Negra, já que o gramado do Palestra Itália continua em reforma.   Nesta terça-feira, já em Piracicaba, o técnico Vanderlei Luxemburgo comandou um treino secreto com as presenças dos estreantes Lenny e Diego Souza entre os titulares. Assim, Luiz Henrique e William treinaram entre os reservas. Ele, no entanto, proibiu a presença de jornalistas para poder treinar jogadas ensaiadas longe das câmeras.   Lenny e Diego Souza dependiam do atestado liberatório dos clubes portugueses em que atuavam - o primeiro estava no Sporting Braga e o segundo pertencia ao Benfica. E a diretoria palmeirense já conseguiu regularizar a documentação de ambos para a estréia nesta quarta-feira.   O nome de Diego Souza, ao contrário do de Lenny, ainda não apareceu como jogador do Palmeiras no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), mas isso não impede sua participação no jogo desta quarta-feira. "Para o Campeonato Paulista, o que importa é a liberação da federação estadual, e nós recebemos hoje (terça-feira) essa carta", informou o gerente de futebol do clube, Toninho Cecílio. "É por isso que estamos seguros e o Diego vai para o jogo."   Dos sete reforços contratados até o momento pelo Palmeiras, Lenny e Diego Souza são os que vêm criando mais expectativas. Ambos foram revelados pelo Fluminense, mostraram talento em campo, mas andaram derrapando fora dele. Com Luxemburgo por perto, a diretoria não tem dúvidas de que eles têm tudo para brilhar com a camisa palmeirense.   Além deles, outros dois reforços já vêm jogando: o lateral-direito Elder Granja e o atacante Alex Mineiro. Já o meia Léo Lima, o atacante Jorge Preá e o zagueiro Henrique ainda não têm data para estrear - este último será finalmente apresentado oficialmente na tarde de quinta-feira, na Academia de Futebol.   Vindo de um empate em 2 a 2 com o Mirassol, sábado passado, em Barueri, o Palmeiras precisa de uma vitória nesta quarta-feira para continuar próximo da Ponte Preta, que lidera o Paulistão com 12 pontos - quatro a mais do que o time palmeirense.   Clima   Depois de mandar dois jogos do Paulistão em Barueri, o Palmeiras mobilizou Piracicaba, cidade que está há 12 anos sem ver uma partida de primeira divisão. O Estádio Barão de Serra Negra, com gramado novo, deverá estar lotado nesta quarta-feira: foram 17 mil ingressos colocados à venda.   Nesta terça-feira, os torcedores locais, saudosos dos tempos em que o XV de Piracicaba era uma força do interior, passaram horas na fila, sob chuva incessante, para garantir lugar na festa. Os ingressos de arquibancada, vendidos a R$ 30 no guichê, custavam o dobro nas mãos dos cambistas. Palmeiras Diego Cavalieri; Elder Granja, Gustavo, Dininho e Leandro; Pierre, Martinez, Diego Souza e Valdivia; Lenny e Alex Mineiro Técnico: Vanderlei Luxemburgo Ituano Diego; Peter, Márcio Alemão e Lino; Almir, Serginho, Boiadeiro, Vinícius e Éder; Beto e Felipe Técnico: Pintado Árbitro: Claudinei Forati SilvaEstádio: Barão de Serra Negra, em Piracicaba (SP)Horário: 19h30TV: SporTVRádio: Eldorado/ESPN - AM 700 khz   Como a reforma do gramado do Palestra Itália está no fim, a expectativa da diretoria palmeirense é que o jogo desta quarta -feira seja o último como mandante longe de casa. "O bom de jogar no interior é que o Palmeiras tem muita torcida espalhada por todas as cidades. É como jogar sempre em casa", disse o zagueiro Gustavo, natural de Campinas. "O carinho do torcedor do interior com o Palmeiras é muito grande", emendou o volante Martinez, nascido em Magda, região de São José do Rio Preto.   Política   Nos bastidores, a diretoria palmeirense pôde comemorar a aprovação do balanço de 2007 em votação no Conselho Deliberativo do clube, realizada na noite de segunda-feira. As contas foram aprovadas com 159 votos a favor e 76 contra (foram 17 abstenções), apesar do déficit de R$ 24 milhões acumulados durante o ano.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasItuanoPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.