Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Em primeira aparição pós-Copa, Neymar diz ver exagero em críticas

Camisa 10 da seleção brasileira afirma que a melhor coisa da vida é 'levar as coisas com leveza'

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2018 | 22h16

Principal estrela da seleção brasileira e alvo de severas críticas pelo desempenho na Copa do Mundo na Rússia, Neymar disse nesta quinta-feira que vê exagero nas provocações e que leva a situação numa boa. Ele reuniu amigos famosos e convidados para um leilão beneficente em hotel em São Paulo para o Instituto Projeto Neymar Junior. 

+ Os franceses vão preferir Mbappé a Neymar no Paris Saint-Germain

Foi a primeira aparição pública de Neymar desde que a eliminação da seleção brasileira na Copa do Mundo, após a derrota para a Bélgica por 2 a 1 nas quartas de final.

"Levo essas críticas e brincadeiras numa boa", disse o jogador. "É um exagero o que fizeram, mas levo numa boa. A melhor coisa da vida é levar as coisas com leveza. É isso que eu faço. Não ligo para isso e acabo brincando também."

Para Neymar, sua imagem não está arranhada após o Mundial. Umas das principais críticas que se fez ao astro foi o exagero nas reações a faltas sofridas durante o torneio. "Desvalorização eu acho que não tem. Eu saí da Copa e todo mundo está falando meu nome. Não esquecem nunca de mim. Então, como desvalorizou?"

O jogador disse que se orgulha de ter participado do grupo de Tite no Mundial. "É uma Copa que eu me esforcei muito para estar. Eu faria o possível de novo para estar lá e fico muito feliz de ter feito parte daquele grupo. É claro que esperávamos ganhar. Sabíamos que poderíamos chegar longe, mas infelizmente não deu."

O atleta ainda comentou os rumores de que pode trocar o Paris Saint-Germain, onde atua desde o ano passado, pelo Real Madrid, rival de seu ex-clube, o Barcelona. Neymar nega uma possível transferência. "Não tem preocupação nenhuma sobre isso. Estão inventando coisas com o meu nome."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.