Tiago Queiroz/AE e Aby Saber/Arena
Tiago Queiroz/AE e Aby Saber/Arena

Em princípio de crise, São Paulo encara o Santos

Os dois times precisam de vitória para fugir da ameaça de zona de rebaixamento do Brasileirão

Giuliander Carpes e Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

18 de julho de 2009 | 19h57

Sem vencer uma partida há três rodadas, vindo de uma derrota "vergonhosa" e conformado em terminar o ano sem títulos. Esse é o São Paulo que enfrenta o Santos, neste domingo, às 16 horas, no Estádio do Morumbi, pela 12.ª rodada do Campeonato Brasileiro (com transmissão do estadao.com.br e da rádio Eldorado/ESPN - AM 700/FM 107,3).

Veja também:

link Molina acerta com time da Coreia do Sul

especial MASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especial Visite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Ricardo Gomes assumiu o time com a difícil tarefa de reaglutinar os jogadores depois de eliminações que levaram à demissão do vitorioso Muricy Ramalho. Começou com vitória (2 a 0 diante do Náutico), mas a realidade logo mostrou sua cara feia e o novo técnico não consegue achar onde o valorizado elenco escondeu o bom futebol. Entre uma derrota e outra, os jogadores ainda explodem em reclamações públicas, exatamente as situações que derrubaram Muricy.

O que o São Paulo ainda não quer cogitar, mas fica cada vez mais próxima é a ameaça da zona de rebaixamento - está apenas um ponto à frente do primeiro time no descenso.

 FRASE
Serginho Chulapa

Técnico interino do Santos
"Depois do meu quarto casamento, estou mais sossegado"
DESPEDIDA

Sob o efeito da contratação de Vanderlei Luxemburgo - falta apenas assinar contrato -, o Santos entra em campo no Morumbi abalado por maus resultados e o mesmo risco de terminar a rodada na zona de rebaixamento. O interino Serginho Chulapa exige que o time repita a atuação do segundo tempo diante do Barueri.

Se depender de sua vontade vai continuar como está no Santos, sendo o mesmo que Milton Cruz é no São Paulo e Jorginho no Palmeiras, servindo o clube entre a saída de um treinador de nome e a chegada de outro "Depois do meu quarto casamento, estou mais sossegado", concluiu.

TIMES

 SÃO PAULO
Denis; Zé Luis, André Dias, Miranda e Junior Cesar; Eduardo Costa, Jean, Hernanes e Marlos; Dagoberto (Hugo) e Washington.
Técnico: Ricardo Gomes
 SANTOS
Douglas; Luizinho, Domingos, Astorga e Léo; Roberto Brum, Germano, Madson e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Roni) e Kléber Pereira.
Técnico: Serginho Chulapa (interino)
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP)

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Horário: 16 horas

Rádio: Eldorado/ESPN - AM 700/FM 107,3

Internet: estadao.com.br

TV: PPV

O São Paulo não contará com Borges e Jorge Wagner, suspensos. Washington pode ter nova chance no ataque e Hernanes pode sair como titular. No Santos, as novidades serão Astorga e Germano, substituindo respectivamente Fabão e Rodrigo Souto, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Neymar pode voltar a ser titular ou Roni continuar ao lado de Kléber Pereira.

"O forte do São Paulo é o jogo aéreo, mas não vou escalar três zagueiros", antecipou Chulapa. "Apenas vou pedir atenção com Washington. Ele não está em boa fase, mas é excelente atacante e muito perigoso. Só espero que Washington não saia do jejum contra a gente", acrescentou.

MARCA

O clássico é especial para Serginho porque ele foi formado pelo São Paulo e continua sendo o maior artilheiro da história do time tricolor, com 242 gols, e o maior do Santos, com João Paulo, depois que Pelé parou de jogar, com 104. "Estou bem no Santos e sempre fui reconhecido e bem tratado pelo São Paulo. Tenho amigos lá, entre eles o doutor Marco Aurélio Cunha", destaca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.