Rafael Ribeiro/Vasco
Rafael Ribeiro/Vasco

Em queda livre, Vasco e Cano tentam acabar com jejum diante do Bahia no Pituaçu

Equipe carioca caiu de rendimento nas últimas rodadas e time baiano luta para se afastar da parte debaixo da tabela

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2020 | 09h22

Abalado pela goleada diante do Atlético-MG, por 4 a 1, com desfalques importantes e sem vencer já cinco jogos, curiosamente desde que o artilheiro Cano parou de marcar, o Vasco junta os cacos para pôr fim à queda livre no Brasileirão. Do G4, o time foi parar no nono lugar. Buscará a reabilitação às 19h15 em Pituaçu, diante do não menos instável Bahia.

Apesar de os baianos estarem na porta da zona de rebaixamento, o duelo não será nada fácil aos vascaínos. O time de Ramon Menezes sofre quando não tem os meias Benítez e Andrey. Sem eles, o artilheiro Cano costuma ser pouco municiado no ataque. E ambos estão suspensos. Vinícius, boa opção para ser substituto, é dúvida, e Bruno César foi para o Penafiel.

Ciente que carece de armador, o Vasco está trazendo Patrick, do Grêmio. Mas enquanto não ganha reforços, Ramon tenta reerguer o time, que iniciou muito bem o Brasileirão. Fellipe Bastos e Bruno Gomes devem ser os responsáveis por conduzir o time ao ataque na busca da "volta por cima".

São cinco jogos sem triunfos do Vasco - contando a Copa do Brasil. Desde que o artilheiro Cano parou de fazer seus gols (o último nos 3 a 2 sobre o Botafogo), a equipe deixou de encontrar o caminho das vitórias e despencou na tabela. A aposta é que desencante em Salvador.

Mas o retrospecto recente na casa do Bahia também joga contra. Desde 2013 que o Vasco não triunfa em Pituaçu. São seis jogos de jejum. Como o momento dos baianos é ruim, explorar um possível nervosismo dos jogadores rivais é uma estratégia.

Ramon assumiu a responsabilidade da derrota por 4 a 1 diante do Atlético-MG. Absorveu toda a culpa para não abalar o psicológico do grupo. Quer todos sem peso na consciência e focados apenas em reencontrar o caminho das vitórias.

Bahia vê hora certa para iniciar reação

Sem tempo para lamentar, o Bahia precisa se ajustar rapidamente para reagir no Campeonato Brasileiro. O técnico Mano Menezes reconheceu que a equipe precisa de ajustes e pediu um pouco mais de tranquilidade aos jogadores para se reencontrar com a vitória atuando em casa.

"No último jogo, a equipe ficou aquém na posse de bola e construção de jogadas. Não fizemos tudo o que podíamos, mas mesmo assim criamos algumas boas chances, que às vezes não entram pelo momento complicado que estamos, falta tranquilidade", avaliou o treinador.

Depois da derrota por 2 a 1 para o Sport, o Bahia teve dois dias de preparação. Na segunda-feira, todos os titulares fizeram apenas atividades academia e, na terça, o foco foi na parte tática. É improvável que Mano possa contar com o meia Rodriguinho, que se recupera de lesão no pé. A base do time deve ser a mesma do último jogo. A diferença parece ser a postura e a tranquilidade.

O meio-campo parece mais equilibrado com a entrada de Elias, ex-Atlético-MG, ao lado de Gregore e Ramires. O tripé de marcação dá mais liberdade para Marco Antônio encostar no dois atacantes: Élber e Gilberto.

O Bahia começou o campeonato com duas vitórias seguidas, mas depois caiu de rendimento. Só voltou a triunfar recentemente, ao fazer 2 a 1 no Botafogo, fora de casa, em partida atrasada da primeira rodada. Com isso, está com 12 pontos, na 16ª colocação, uma acima da zona do rebaixamento. Entretanto, três integrantes da zona da degola, Coritiba, Bragantino e Botafogo, têm a sua pontuação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.