Lukas Barth/EFE
Lukas Barth/EFE

Em regime semiaberto, ex-presidente do Bayern trabalhará no clube

Uli Hoeness cumpre pena de três anos e meio de prisão por sonegação de 28,5 milhões de euros em impostos

Estadão Conteúdo

02 de janeiro de 2015 | 09h57

Ex-presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness foi transferido nesta sexta-feira para o regime semiaberto, sete meses após começar a cumprir a pena de três anos e meio de prisão por sonegação de impostos. Assim, a partir de agora, ele vai trabalhar durante o dia e só precisará dormir na cadeia.

Nesta sexta-feira, o Ministério da Justiça do Estado da Baviera confirmou a mudança do regime de detenção de Hoeness. Diante disso, o Bayern deseja dar um trabalho ao seu ex-presidente nas divisões de base do clube, o que deve acontecer ainda neste mês.

Em março de 2014, Hoeness foi condenado a três anos e meio de prisão por sonegação de impostos no valor de 28,5 milhões de euros (aproximadamente R$ 91,3 milhões) através de um conta em um banco na Suíça. O dirigente, porém, só começou a cumprir a sentença em junho.

Desde então, Hoeness havia sido liberado duas vezes, para o Natal e o Ano Novo. E, a partir de agora, o ex-presidente do Bayern só precisará dormir na cadeia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.