Em revanche de final, Flamengo põe reservas contra Botafogo

Joel Santana decide poupar a maioria dos titulares para o confronto contra o Nacional-URU pela Libertadores

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

15 de março de 2008 | 16h39

O Flamengo tratou de esvaziar o clássico deste domingo contra o Botafogo, às 18h10, no Maracanã, pela quarta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Vai poupar a maior parte dos titulares e transferiu a responsabilidade da vitória para o rival. Quis assim justificar a preparação para o jogo com o Nacional-URU, pela Libertadores, na próxima semana. Veja também: Vasco encara Cardoso Moreira pelo Estadual do Rio Mas a medida também tem outra conotação: não dar ao Botafogo a chance de se ‘vingar’ da derrota na decisão recente da Taça Guanabara, numa partida polêmica, em que jogadores do time alvinegro choraram no vestiário e o presidente do clube, Bebeto de Freitas, renunciou ao cargo - depois, disse que se tratava de uma licença - em protesto contra a arbitragem. Como o Flamengo já ganhou a Taça Guanabara e assegurou vaga na final do Carioca, o Botafogo tem a obrigação dupla de vencer: além de enfrentar um rival cheio de reservas, não pode perder e nem sequer empatar, sob o risco de ver ameaçada a classificação para as semifinais da Taça Rio. Mas o técnico Cuca sabe que as circunstâncias podem representar uma armadilha para seu time. "Não nos cabe o rótulo de favoritos, até porque quem entrar pelo Flamengo vai querer mostrar serviço. E nosso adversário tem um excelente plantel." Ele aposta na presença de um bom público no Maracanã e acredita que agora, ao contrário da final da Taça Guanabara, os botafoguenses serão maioria no estádio. "Luta e aplicação não vão faltar", afirmou Cuca, que chegou a pensar em abandonar o futebol carioca depois do último confronto com o Flamengo. Por causa de incidentes naquela partida, ele foi denunciado pela justiça esportiva e acabou suspenso por 30 dias. Apesar das reclamações do Botafogo, o árbitro da final do primeiro turno não teve atuação comprometedora. No Flamengo, Joel Santana evitou gozações durante a semana, atendendo a uma determinação da direção do clube, e se limitou a fazer comentários sobre a preparação de seu time. Sabe que terá problemas pela falta de entrosamento - apenas o goleiro Bruno, o lateral Leonardo Moura e o volante Jailton, dos titulares, estão escalados para o clássico. "Vamos para ganhar. Mas é claro que um time que nunca jogou junto vai ter dificuldades", admitiu. O clima entre dirigentes e jogadores dos dois times amenizou nos últimos dias, mas o mesmo não se pode dizer quanto às torcidas de Botafogo e Flamengo. Em sites de relacionamento da internet, botafoguenses prometeram durante a semana uma batalha nada esportiva contra flamenguistas. Querem dar uma ‘resposta’ à versão adaptada que os rubro-negros criaram para a música melodiosa cantada pelos alvinegros em louvor ao Botafogo. Nela, os torcedores do time da Gávea chamam os botafoguenses de chorões no ritmo da canção. Os outros jogos da rodada, neste domingo, são: Macaé x Mesquita, às 15 horas, em Macaé; Boavista x Friburguense, às 15 horas, em Bacaxá; e Duque de Caxias x Cabofriense, às 15 horas, em Duque de Caxias.

Tudo o que sabemos sobre:
Estadual do RioFlamengoBotafogo-RJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.