Felipe Oliveira / EC Bahia
Felipe Oliveira / EC Bahia

Em Salvador, Bahia segura o empate com Ceará e avança à final da Copa do Nordeste

Tricolor baiano espera jogo entre Sampaio Correa e ABC para saber quem será o adversário na decisão

Estadão Conteúdo

26 Junho 2018 | 23h50

O Bahia segue vivo na busca pelo bicampeonato da Copa do Nordeste. Nesta quarta-feira, o time tricolor baiano avançou para a final ao segurar um empate sem gols diante do Ceará, na Arena Fonte Nova, em Salvador. No duelo de ida, os comandados do técnico Enderson Moreira haviam vencido por 1 a 0, na Arena Castelão, em Fortaleza, na semana passada.

+ Sampaio Corrêa defende vantagem contra o ABC para ir à final da Copa do Nordeste

+ Copa do Nordeste terá novo formato em 2019 e campeão receberá R$ 1 mi

Com a vaga assegurada, o Bahia aguarda agora o confronto entre ABC e Sampaio Corrêa para conhecer o seu adversário na final. Eles se enfrentam nesta quinta-feira, às 21h45, no estádio Frasqueirão, em Natal. Na ida, no Maranhão, o clube maranhense venceu por 1 a 0 e também joga pelo empate.

Para chegar até a decisão, o Bahia passou na liderança do Grupo C, na frente de Botafogo-PB, Náutico e Altos-PI. Nas quartas de final, encontrou novamente o time paraibano, venceu fora e empatou no estádio de Pituaçu, em Salvador, em situação semelhante na classificação frente ao Ceará.

O JOGO

Em um primeiro tempo muito truncado, o Bahia abusou dos cruzamentos para dentro da área, com pouca efetividade. Já o Ceará se mostrou mais focado e criou as principais jogadas de gol. Luidy cruzou rasteiro para Douglas Coutinho. O atacante chutou, meio desequilibrado, rente à trave do goleiro Anderson.

O Bahia seguiu dando muito espaço ao Ceará e só não foi para o intervalo perdendo por detalhe. Aos 42 minutos, Elton recebeu livre dentro da área e cabeceou para defesa de Anderson.

O segundo tempo continuou na mesma pegada. O Bahia povoou o meio de campo e anulou as principais jogadas do Ceará. Mesmo com mais posse de bola, o time baiano não conseguiu transformar a superioridade em gol e acabou pressionado pelo Ceará nos minutos finais.

A equipe do técnico Lisca se jogou todo ao ataque em busca do gol que levaria o duelo para os pênaltis, mas não conseguiu passar pela defesa do Bahia, que se fechou todo para assegurar a classificação. Apesar da vaga, a torcida ainda vaiou o finalista.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.