Divulgação
Divulgação

Em Salvador, líder Cruzeiro busca reação contra Vitória

Treinador Marcelo Oliveira não adianta a escalação da equipe para o confronto da 29.ª rodada do Brasileirão

Marcelo Portela e Tiago Décimo, Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2014 | 09h17

Após duas derrotas seguidas no Brasileirão, o Cruzeiro enfrentará o Vitória, neste domingo, 19, no estádio Barradão, em Salvador, com o peso de recuperar a confiança para tentar manter a liderança da competição. Para ajudar na missão, o técnico Marcelo Oliveira terá novamente à disposição cinco jogadores que desfalcaram o time na partida contra o ABC, pela Copa do Brasil, na última quarta-feira.

O treinador não quis adiantar a escalação da equipe para o confronto da 29.ª rodada do Brasileirão, que será realizado a partir das 18h30. Mas ele afirmou que o "mistério" deve-se apenas à "condição dos jogadores" por causa do desgaste físico. Na última sexta, o time fez apenas trabalhos na academia, já na capital baiana. "Não treinamos. Treina-se muito pouco no Brasil. São muitos jogos. Se faz 10 jogos em 30 dias. É desumano, mas vamos ajustar", salientou.

Uma presença é certa. Everton Ribeiro, que estava à serviço da seleção brasileira, já se juntou à delegação celeste. Marcelo Oliveira também deu a entender que Marquinhos, que não pode atuar na Copa do Brasil por já ter defendido outra equipe na competição, estará em campo. "O Marquinhos descansou e provavelmente vai ser escalado", disse. Também estão à disposição Marcelo Moreno, Mayke e Lucas Silva, que desfalcaram o time na última partida por causa do desgaste.

O treinador não poderá contar com Borges, que teve confirmada uma contusão na coxa direita, e não adiantou se vai manter Dedé no time. O zagueiro tem sido criticado pela torcida por causa das últimas atuações. "Não temos problema nenhum em colocar e tirar jogadores, independentemente da condição do jogador. Tenho uma confiança grande no Dedé. Acho que têm acontecido falhas no sistema defensivo como um todo", avaliou Marcelo Oliveira.

Mas a maior preocupação do técnico é fazer o grupo recuperar a motivação. Ele admitiu que teve uma reunião com o time "de cobrança, de indignação em relação aos três últimos jogos", mas salientou que a conversa "longa" foi para dar confiança à equipe, pois o time "está na semifinal da Copa do Brasil e é o líder do Campeonato Brasileiro", com seis pontos à frente do Internacional, o segundo colocado. "Essa margem foi construída com muito trabalho, muito sacrifício. O time às vezes vai um pouco bem e no segundo tempo tem caído. Num momento de distração nós doamos gols aos adversários. Temos que eliminar rapidamente isso e voltar ao caminho natural", afirmou.

Já pelo Vitória, três dos principais jogadores do elenco, o meia argentino Escudero, o volante paraguaio Cáceres e o goleiro Roberto Fernández, também paraguaio, desfalcam a equipe.

Os dois primeiros não se recuperaram das lesões musculares a tempo, enquanto que o goleiro está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Além deles, o atacante paraguaio Guillermo Beltrán, primeira opção do técnico Ney Franco para substituir o centroavante Dinei, também com uma lesão muscular, completa a lista dos estrangeiros afastados da partida.

Por causa dos desfalques, e do pouco tempo para treinar, Ney Franco deve repetir, neste domingo, a formação usada na derrota por 1 a 0 para o Atlético Nacional, da Colômbia, na última quinta-feira, em Salvador - resultado que custou ao time a desclassificação da Copa Sul-Americana. A novidade é o retorno do goleiro Wilson, que não jogava desde o fim de agosto, por causa de uma lesão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.