Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Em Santa Catarina, Palmeiras erra muito e perde do Figueirense

Time leva 2 a 1 do frágil adversário e fica próximo da zona de risco

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

07 de junho de 2015 | 21h41

O Palmeiras queria aproveitar a fragilidade do Figueirense para recuperar parte dos pontos perdidos em casa, mas com mais uma atuação pouco animadora, perdeu por 2 a 1, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, e com seis pontos, ocupa a perigosa 15.ª colocação, após seis rodadas, podendo entrar na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro na próxima rodada.

Os primeiros 15 minutos de jogo deram a impressão que teríamos o melhor duelo da competição. Os dois times estavam abertos, buscando o ataque e como prêmio conseguiram marcar logo nos minutos iniciais. Aos 7, Clayton fez jogada pela direita, cruzou, Fernando Prass cortou errado e ajeitou para Carlos Alberto, sozinho, abrir o placar. A torcida do Figueirense ainda fazia a festa, quando Gabriel, aos 10, caminhou com a bola e sem marcação acertou um belo chute de fora da área e deixou tudo igual.

Algo que chamou a atenção foi a mudança de postura do Palmeiras no ataque. Se nos últimos jogos o time tocava a bola insistentemente e não finalizava, neste domingo várias vezes os jogadores arriscaram de fora da área, principalmente Gabriel e Dudu.

Mas toda a euforia do início do jogo parou por aí. Os dois times diminuíram o ritmo por motivos distintos. Carlos Alberto saiu machucado no Figueirense e o time da casa parou de atacar. Já o Palmeiras se movimentava bastante, mas faltava aproximação do meio e ataque. Os laterais também deixaram a equipe na mão. Na esquerda, Egídio mais uma vez não rendeu o esperado e errou lances simples, enquanto que, na direitas, Ayrton estava claramente sem ritmo de jogo ou já com a cabeça no Flamengo, seu provável destino.

No segundo tempo, o técnico Oswaldo de Oliveira resolveu mexer na movimentação do ataque. Rafael Marques passou a ficar mais na ponta, enquanto Dudu entrava na área para tentar confundir a marcação. O problema é que a alteração tirou o pouco da movimentação do ataque e facilitou a vida do Figueirense.

O time da casa passou a tocar mais a bola e jogar justamente no ponto fraco do Palmeiras: as laterais. Aos 16 minutos, após cobrança de escanteio da equipe alviverde, o Figueirense recuperou a bola e após lançamento nas costas de Egídio, Clayton cruzou para a área, onde Thiago Santana apareceu livre e bateu sem chances para Fernando Prass.

O segundo gol sofrido não foi suficiente para fazer o Palmeiras mostrar vontade e se organizar. Oswaldo de Oliveira colocou Cristaldo e depois Cleiton Xavier, mais no desespero do que acreditando que eles pudessem fazer algo. O técnico Argel Fucks, no Figueirense, fechou o time. E o time paulista não conseguiu recuperar os pontos perdidos em casa.

FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE 2 x 1 PALMEIRAS

FIGUEIRENSE - Alex; Jefferson, Marquinhos, Bruno Alves e Cereceda; Paulo Roberto, Fabinho (Thiago Santana), Ricardinho e Carlos Alberto (Yago); Clayton (Dener) e Marcão. Técnico: Argel Fucks.

PALMEIRAS - Fernando Prass; Ayrton, Jackson (Tobio), Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Arouca (Cleiton Xavier), Zé Roberto, Dudu (Cristaldo) e Kelvin; Rafael Marques. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Carlos Alberto, aos 7, e Gabriel, aos 10 minutos do primeiro tempo; Thiago Santana, aos 14 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Paulo Roberto, Marquinhos e Marcão (Figueirense); Kelvin, Egídio e Ayrton (Palmeiras).

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.