Em séria crise, Portuguesa atinge posição mais crítica da história na Série C

Após a 10.ª rodada, a oito do fim da primeira fase, o time da capital paulista ocupa a vice-lanterna

Estadão Conteúdo

25 de julho de 2016 | 21h15

A derrota por 1 a 0 para o Macaé, no último sábado, colocou a Portuguesa na pior colocação de toda a sua história no cenário do futebol nacional. Pela primeira vez, o time entrou na zona de rebaixamento da Série C do Campeonato Brasileiro - a terceira divisão nacional - e nunca viu o fantasma da Série D tão de perto.

Na verdade, em seu ano de estreia na Série C, em 2015, o time chegou a ocupar a área da degola do Grupo B, mas apenas na primeira rodada. Agora, a situação é bastante assustadora para o torcedor rubro-verde, que nunca viu o time em uma situação tão dramática.

Após a 10.ª rodada, a oito do fim da primeira fase, o time da capital paulista ocupa a vice-lanterna, com oito pontos somados, a dois do Macaé, primeiro fora da zona de rebaixamento. A chance de escapar ainda existe porque faltam oito jogos, mas a entrada do time na degola é simbólica e atesta o pior momento da história do tradicional clube, que vem em derrocada desde a queda para a Série B em 2013. A Portuguesa acumulou quatro derrotas seguidas em um processo de reformulação de seu elenco.

A situação só não está pior porque o Guaratinguetá vem fazendo uma campanha ruim e está na lanterna com quatro pontos. Sem perspectiva de recuperação, o time do Vale do Paraíba é apontado como favorito ao rebaixamento. Com o grupo muito equilibrado, tudo pode acontecer em relação à segunda vaga.

Se a diferença para o Macaé ainda é de dois pontos, o próximo time à frente é o sétimo colocado Ypiranga-RS, com 14. Ou seja, são seis pontos de diferença. Como perdeu o confronto direto contra o time carioca na primeira rodada do returno, ainda tem confrontos com todas as outras oito equipes, começando pelo Mogi Mirim, neste sábado, às 19 horas, no estádio do Canindé, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PortuguesaCanindé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.