Kiko Huesca/EFE
Kiko Huesca/EFE

Em silêncio, delegação do Boca Juniors desembarca em Madri para a final

Time xeneize enfrenta o River Plate na capital espanhola, domingo, pela final da Libertadores

Estadão Conteúdo

05 Dezembro 2018 | 16h38

Em silêncio e sem grande alarde, a delegação do Boca Juniors desembarcou no Aeroporto de Barajas, em Madri, nesta quarta-feira. Os jogadores e a comissão técnica cruzaram o saguão sem conceder entrevistas e rapidamente se encaminharam ao hotel onde ficarão hospedados até a final da Libertadores, domingo, contra o River Plate.

Depois de uma grande festa na saída de Buenos Aires, o elenco do Boca teve uma recepção bem mais discreta na Espanha. Afinal, a dias da partida, apenas dezenas de torcedores do clube que vivem em Madri foram ao aeroporto para saudar os atletas. A expectativa é que muitos outros cheguem à cidade nos próximos dias, principalmente no fim de semana.

A chegada à Espanha aconteceu depois de uma longa polêmica e da tentativa do Boca de ser anunciado campeão da Libertadores sem entrar em campo para a grande decisão. Por causa dos acontecimentos violentos em Buenos Aires, o clube chegou a dizer que se recusava a disputar a segunda partida contra o River Plate, mas voltou atrás.

Após o empate por 2 a 2 na ida, em La Bombonera, River e Boca deveriam se enfrentar no último dia 24 no Monumental de Núñez, porém, diante do apedrejamento do ônibus visitante, a partida foi adiada e, posteriormente, suspensa. A Conmebol, então, decidiu tirar o confronto de Buenos Aires e levá-lo para o Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid, onde será realizado no domingo.

Às vésperas do confronto decisivo, o técnico Guillermo Barros Schelotto tem algumas dúvidas. O goleiro Andrada e o atacante Pavón, recuperados de problemas físicos, podem retomar a titularidade. Por outro lado, Ramón Ábila acusou dores musculares recentemente e pode ser desfalque.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.