José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Em silêncio, Sheik reinicia sua história no Corinthians

Depois de passar seis meses emprestado ao Botafogo e ser afastado do clube carioca por problemas disciplinares, Emerson voltou ao Corinthians em alta. A falta de opções confiáveis transforma o atacante em titular absoluto para formar dupla com Guerrero neste domingo contra o Marília, no Itaquerão, pela primeira rodada do Campeonato Paulista. Isso porque Luciano ainda não é considerado pronto para disputar uma Libertadores, Malcom está com a seleção Sub- 20, Romero decepcionou em 2014 e Mendoza não teve a sua documentação regularizada.

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2015 | 17h01

Mesmo sem fazer uma grande atuação nos amistosos da pré-temporada, o atacante foi aplaudido por parte da torcida diante do Casuals numa demonstração de que continua com prestígio graças aos gols marcados na final da Libertadores de 2012 contra o Boca Juniors. Mas Sheik sabe que para se firmar de vez na equipe e conseguir renovar o seu contrato, que vence em julho, depende de bons jogos e gols.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

Por isso, nesse seu retorno ao clube, o atacante quer se destacar exclusivamente pelo o que produzir em campo. Emerson já pediu à assessoria do clube que não agendasse nenhuma entrevista com ele. Chegou à conclusão de que é o momento de jogar mais e falar menos.

Aos 36 anos, o atacante continua com força no arranque. O que não ele ainda não conseguiu encaixar foram os dribles e a pontaria na hora de finalizar. Emerson esperar começar a mudar essa história neste domingo porque quando Malcom voltar da seleção a sua vaga começa a ficar ameaçada.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.