Em situações opostas no Brasileiro, Fluminense e Vasco se enfrentam no Maracanã

Fluminense e Vasco se enfrentam neste domingo em situações bastante opostas no Campeonato Brasileiro. O time Tricolor iniciou esta 14.ª rodada na segunda posição, com 27 pontos, focado em chegar à liderança, enquanto que o rival de São Januário está no penúltimo lugar, com 9, e muito pressionado. Assim, o duelo no estádio do Maracanã, no Rio, às 16 horas, é considerado fundamental pelas duas equipes.

RONALD LINCOLN JR., Estadão Conteúdo

19 de julho de 2015 | 08h04

O clássico também está marcado por polêmicas. A direção dos dois clubes são grandes rivais políticas. Recentemente, o Fluminense conquistou uma vitória ao contratar o meia Ronaldinho Gaúcho que era cortejado pelo Vasco. O jogador vai ser apresentado ao público com festa antes da partida.

Ambos também reivindicam que suas torcidas ocupem o setor sul do Maracanã e como o time tricolor tem contrato com os administradores do estádio, também ganhou esta disputa. Por isso, o presidente vascaíno pediu para que os torcedores do time boicotassem a partida. O que não deve ser obedecido porque até a noite de sexta-feira mais de 20 mil ingressos haviam sido vendidos, para vascaínos e tricolores.

O técnico Celso Roth está mais preocupado em voltar a ter bons resultados e tirar a pressão sobre si e considera que o clássico será ideal para isso. "Estamos mal no campeonato em termos técnicos e de rendimento e o Fluminense está fazendo uma boa campanha. Esse é um ingrediente que faz com que a gente veja o clássico de uma maneira boa, singular", considerou.

Do outro lado, Enderson Moreira considera que é preciso respeitar a equipe vascaína, que em sua visão vai jogar mordida por uma vitória. "Temos muito respeito pelo Vasco e sabemos da dificuldade que teremos pela frente. Será um jogo igual, pois é um clássico, e quem aproveitar melhor as oportunidades vai sair com a vitória".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFluminenseVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.