Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Em treinamento da seleção brasileira, defesa leva a melhor sobre ataque

Preparação da equipe de Felipão consistiu em situações de jogo

Robson Morelli, O Estado de S. Paulo

30 de maio de 2014 | 12h47

TERESÓPOLIS - Felipão tem trabalhado sério na Granja Comary. O tempo de preparação da seleção tem sido usado nessa primeira semana para aprimorar fundamentos e ensaiar situações de jogo da Copa do Mundo. Pensando sempre no pior diante de seus adversários, o treinador dificulta ao máximo a vida de seus atacantes. Sabe que Neymar, Fred e companhia encontrarão marcações duras e fechadas nesta primeira fase, verdadeiras fortalezas para derrubar.

No defesa contra ataque do time brasileiro, os zagueiros têm levado a melhor. Isso explica a boa fase dos brasileiros desta posição na Europa, com destaque para os titulares de Felipão, Thiago Silva e David Luiz, que agora jogarão juntos no Paris Saint-Germain. Parece que os atacantes da seleção, incluindo Neymar, estão amarrados ainda, ou com os receios normais de contusão antes de a bola rolar para valer. Foi um banho dos zagueiros nos desarmes.

Felipão colocou seus jogadores para atacar pelos dois lados do campo. E nem era preciso guardar posição. O desafio consistia em passar pelo bloqueio de dois zagueiros inicialmente, e depois de mais um volante, que dava o combate fora da área. A bola rodava de pé em pé até chegar mais perto do gol. Os poucos arremates de longe iam para fora, quase sempre em chutes de Hulk. Marcelo, abusando de sua calma e categoria dentro da área, fazia boas jogadas e gols. Neymar fez um trabalho burocrático apenas.

O fundamento durou perto de 50 minutos, intensamente. Uma das orientações de Felipão era apostar nos toques rápidos e na movimentação constante. O treinador não quer ver jogador parado à espera de bola. O resultado do desempenho do ataque não agradou a Felipão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.