Georgios Kefalas / AFP
Georgios Kefalas / AFP

Em troca pouco comum, Fifa acerta a contratação de dois dirigentes da Uefa

Escocês Alasdair Bell e espanhol Emilio Garcia assumem cargos na principal entidade do futebol

Estadão Conteúdo

03 Setembro 2018 | 11h18

Em uma mudança pouco comum entre as organizações mais poderosas do futebol, a Fifa contratou dois advogados da Uefa. O acerto veio a pedido do atual presidente, Gianni Infantino, que foi secretário geral da Uefa até 2016.

Agora fazem parte da Fifa o escocês Alasdair Bell e o espanhol Emílio Garcia, que ocupavam os cargos de diretor jurídico e diretor de integridade na entidade europeia, respectivamente. As informações foram reveladas pela Associated Press.

Infantino trabalhou com os dois dirigentes no período que estava na Uefa. A contratação deles vinha sendo especulada nos últimos dias mas Bell e Garcia se recusaram a falar sobre essa mudança de emprego.

Bell se tornará vice-secretário geral da Fifa no lugar de Marco Villiger, que anunciou seu desligamento há duas semanas. Ele chega em um momento que Infantino conseguiu o aporte de US$ 25 bilhões (R$ 103 bilhões) de investidores privados em novas competições.

Garcia será o diretor jurídico e de integridade da Fifa e colaborará para as mudanças no comitê de ética. O dirigente estava na Uefa há seis anos e era visto como um potencial futuro presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF).

Fifa e Uefa ultimamente enfrentam desavenças sobre a maneira que as competições são administradas. A Fifa controla a Copa do Mundo, enquanto que a Uefa tem o poder da Liga dos Campeões, o principal torneio de futebol de clubes. A desavença vem principalmente por uma mudança no Mundial de Clubes. A Fifa pretende ampliar e dar maior visibilidade para o evento, enquanto que a Uefa nunca deu muita atenção para esta competição.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.