Gustavo Oliveira/CAP
Gustavo Oliveira/CAP

Em vantagem, Atlético-PR tenta segurar Millonarios para avançar na Libertadores

Vitória de 1 a 0 na primeira partida veio com gol de pênalti marcado por Grafite

Gabriel Melloni, especial para o Estadão, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2017 | 07h54

O Atlético-PR decidirá seu futuro na Libertadores nesta quarta-feira. Depois da vantagem obtida com a vitória por 1 a 0 na ida, semana passada, na Arena da Baixada, a equipe brasileira entra em campo no Estádio El Campín com a tarefa de segurar o Millonarios para avançar à terceira e última fase preliminar da competição continental.

A vitória na primeira partida veio com o gol de pênalti marcado por Grafite, mas em diversos momentos, o Atlético-PR viu o Millonarios ser melhor e encurralá-lo no campo de defesa. Por isso, a ordem é parar os colombianos nesta quarta, mas também se arriscar no campo de ataque, uma vez que um gol marcado pelo time brasileiro obrigaria o adversário a fazer pelo menos três para avançar.

"O importante para nós é jogar com o gol do adversário debaixo dos nossos olhos. Qualquer gol que façamos muda bastante o rumo da partida e, logicamente, muda favoravelmente a nós. Com inteligência, vamos procurar o gol do adversário", resumiu o técnico Paulo Autuori.

Além do adversário, que mostrou qualidade na primeira partida, o Atlético-PR terá que superar os 2.640 metros de altitude de Bogotá. "Considero isto natural. A altitude existe. É preciso saber jogar. Acima de tudo, ter uma estratégia clara", considerou Autuori.

Nesta temporada, no entanto, o treinador tem encontrado dificuldade para fazer a equipe jogar como ele quer. Em quatro partidas disputadas em 2017 até o momento, o Atlético-PR venceu apenas uma, justamente na ida contra o Millonarios, e empatou as outras três - contra o Peñarol, em amistoso, Rio Branco e PSTC, pelo Paranaense.

Para esta quarta, Autuori deve escalar quase a mesma equipe que atuou na primeira partida, com apenas duas alterações. De volta após cumprir suspensão, Nikão está confirmado no meio de campo na vaga de Crysan. Já o veterano Carlos Alberto agradou em Curitiba, quando saiu do banco de reservas, e deve ganhar a posição de Felipe Gedoz.

O Millonarios, dirigido pelo técnico argentino Miguel Ángel Russo, não disputava a Libertadores de 2013. Para buscar a classificação, o treinador poupou boa parte de suas peças na derrota por 2 a 1 para o Independiente Medellín, no último domingo. Ainda assim, a equipe não poderá contar com o defensor Juan Domínguez e o meio-campista David Silva, lesionados.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Atlético-PR Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.