Jeferson Alves / Estadão
Jeferson Alves / Estadão

Em virada fulminante, Cruzeiro volta a vencer na Série B na estreia de Luxemburgo

Time mineiro saiu da zona de rebaixamento com vitória de virada sobre o Brusque, fora de casa

Leonardo Pinto, especial para a AE, Estadao Conteudo

07 de agosto de 2021 | 13h38

Um Cruzeiro com mais energia e empolgação entrou em campo contra o Brusque neste sábado para tentar sair da zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro, pela 15.ª rodada. O combustível tem nome: o técnico Vanderlei Luxemburgo, que estreou com as vestes de ídolo para salvar o clube do desespero. E foi o que aconteceu. Em desvantagem no placar, pressionou e virou fora de casa para fazer 2 a 1, voltando a vencer no torneio depois de nove jogos.

O bom trabalho ofensivo com o treinador recém-contratado fez com que o Cruzeiro tirasse forças de onde não parecia haver. Giovanni e Felipe Augusto entraram no segundo tempo para dar a vitória suada e tão esperada ao time de Belo Horizonte. Com os três pontos conquistados em Santa Catarina, o Cruzeiro sai, enfim, da zona de rebaixamento da segunda divisão do Brasileiro, saltando da 18.ª para a 15.ª posição.

Em um primeiro tempo bastante disputado, o Cruzeiro via a equipe da casa tocar a bola no começo, mostrando maior organização dentro de campo. Pressionados para conseguir sair do jogo com a vitória, os visitantes pouco criaram e viam o Brusque ter mais chances de perigo.

Aos 30 minutos, houve bastante movimentação dos cruzeirenses em reclamação de pênalti a favor em cima do atacante boliviano Marcelo Moreno, não marcado pelo juiz.

A equipe de Luxemburgo não dava tantos sustos, mas demonstrava a vontade que faltava para recuperar o espírito do time e esse detalhe mudaria o jogo mais para frente. No intervalo, Luxemburgo foi com a mesma equipe a campo para o segundo tempo. Aos 15 minutos, pênalti para o Brusque. Edu foi para a bola e abriu o placar para os mandantes, aumentando a sua artilharia de nove gols na Série B.

Dois minutos depois, Luxemburgo começou a mexer no time para tentar a virada, colocando Giovanni e Marcinho para reforçar o meio campo. A leitura do experiente treinador foi certeira. Mudou o jeito do Cruzeiro, que dali em diante pressionaria, fazendo o goleiro Zé Carlos trabalhar e ser o grande destaque do segundo tempo.

A equipe de Belo Horizonte conseguiu furar o bloqueio do goleiro Zé Carlos, que teve tarde de glória e foi o principal nome do jogo até os últimos minutos, quando o Cruzeiro fez os dois gols que deram a vitória suada e tão esperada.

Aos 27 minutos, Felipe Augusto entrou na partida, em mais uma substituição de Luxemburgo, e deu mais elementos para o ataque cruzeirense. Depois de mais pressão, o atacante fez de cabeça o gol de empate aos 41 da etapa final. Pouco depois, Giovanni arriscou de fora da área em um chute de longa distância e contou com falha de Zé Carlos para virar a partida de forma fulminante.

FICHA TÉCNICA

BRUSQUE 1 x 2 CRUZEIRO

BRUSQUE - Zé Carlos; Vivico (Nonato), Ianson, Everton Alemão e Airton; Zé Mateus, Pepê (Alex Ruan), Garcez e Bruno Alves; Thiago Alagoano e Edu. Técnico: Jerson Testoni.

CRUZEIRO - Fábio; Rômulo, Ramon, Eduardo Brock e Jean Victor; Ariel Cabral e Flávio (Giovanni); Rafael Sóbis (Marcinho), Wellington Nem (Felipe Augusto) e Bruno José (Claudinho); Marcelo Moreno (Thiago). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GOLS - Edu (pênalti), aos 15 minutos do primeiro tempo; Felipe Augusto, aos 41, e Giovanni, aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Nonato e Zé Mateus (Brusque); Rafael Sóbis, Ariel Cabral, Flávio e Eduardo Brock (Cruzeiro).

ÁRBITRO - Jefferson Ferreira de Moraes (GO).

RENDA E PÚBLICO - Jogo com portões fechados.

LOCAL - Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.