Érico Leonan / São Paulo
Érico Leonan / São Paulo

De volta ao seu país, Crespo quer bater Racing e deixar São Paulo perto da vaga na Libertadores

Após ser campeão pelo Defensa y Justicia, treinador agora mira terceira vitória na competição e se aproximar das oitavas de final

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2021 | 05h00

Hernán Crespo é a "grande arma" para o São Paulo colocar a mão em uma das vagas do Grupo E às oitavas de final da Libertadores nesta quarta-feira. Em sua volta à Argentina após comandar o Defensa Y Justicia na temporada passada, o treinador tentará conduzir os paulistas a uma vitória diante do Racing, às 19 horas, no Estádio Presidente Perón, em Avellaneda, que deixará a classificação muito perto. O técnico conhece bem o oponente desta noite e espera utilizar seus conhecimentos para somar o terceiro triunfo seguido na competição.

Jamais na história da Libertadores o São Paulo ganhou os três primeiros jogos da fase de grupos. Sob direção de um expert em jogos na Argentina, tentará pôr fim a essa marca. Será a chance de Crespo provar que as cobranças da torcida por escalar reservas diante do Corinthians não foi um erro.

Descansado, o São Paulo abrirá cinco pontos sobre o segundo colocado em caso de vitória, o que o deixará em situação extremamente confortável na chave. Vale lembrar que na temporada passada a equipe patinou nos jogos fora de casa e acabou eliminada. Agora, já somou três pontos em sua primeira visita, com imponentes 3 a 0 no Sporting Cristal, do Peru.

A história, desta vez, porém, promete ser mais complicada. O Racing é o principal adversário do grupo ao São Paulo. De quebra, ainda há o fato de os paulistas não triunfarem na Argentina desde 2005. A única vez que saiu vencedor pela Libertadores atuando no país vizinho ocorreu em 2005. Fez 3 a 2 na semifinal diante do River Plate. Do mais, em 14 jogos, foram 11 derrotas e dois empates.

Mais um motivo para não arriscar perder as peças importantes na Neo Química Arena. Daniel Alves e Reinaldo não foram utilizados no clássico, enquanto Liziero, Benítez, Pablo e Luciano entraram apenas no decorrer do jogo. Léo atuou e sua escalação é a única dúvida de Crespo. O defensor cumpriu suspensão contra o Rentistas e briga pela vaga com Bruno Alves.

O São Paulo lidera de maneira isolada, com seis pontos e 100% de aproveitamento. Depois de ver sua série de oito vitórias seguidas encerrada com o 2 a 2 diante do Corinthians, quer engatar nova sequência de triunfos. Com quatro pontos, os argentinos são vice-líderes, portanto é um confronto direto pela liderança.

Além dos titulares descansados, Crespo terá duas boas opções caso precise modificar o setor ofensivo em Avellaneda. O meia Gabriel Sara e o atacante Éder, recuperados de lesão, viajaram com a delegação.

Mesmo com possibilidade de assumir a liderança caso vença, o Racing utilizará um esquema cauteloso em seu estádio. O ameaçado técnico Pizzi vai apostar numa defensiva postura com cinco defensores, quatro no meio-campo e Copetti isolado no ataque.

Pizzi vem sofrendo enorme rejeição da torcida e de alguns dirigentes, que já estariam negociando com um substituto. Um resultado ruim pela Libertadores pode abreviar sua passagem no clube, apenas o sexto colocado no Campeonato Argentino e que vem de derrota para o Central Córdoba, por 1 a 0.

FICHA TÉCNICA 

RACING-ARG - Gabriel Arias; Cáceres, Sigali, Domínguez, Martínez e Mena; Chancalay, Miranda, López e Piatti; Copetti. Técnico - Juan Antonio Pizzi.

SÃO PAULO - Tiago Volpi, Arboleda, Miranda e Bruno Alves (Léo); Daniel Alves, Luan, Liziero (Rodrigo Nestor), Benítez e Reinaldo; Luciano e Pablo. Técnico - Hernán Crespo.

ÁRBITRO - Piero Maza (Chile).

HORÁRIO - 19 horas.

LOCAL - Estádio Presidente Perón (El Cilindro), em Avellaneda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.