Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Embalado, Flamengo encara o lanterna em Curitiba para assumir a vice-liderança

Equipe rubro-negra tem 55 pontos, um atrás do Internacional, atualmente na 2ª colocação

Estadão Conteúdo

21 Outubro 2018 | 07h46

Depois de duas boas vitórias por 3 a 0 sobre Corinthians e Fluminense no Campeonato Brasileiro, o Flamengo chegará embalado em campo para enfrentar o lanterna Paraná, neste domingo, às 19 horas, no estádio Durival Britto, em Curitiba, onde terá a chance de assumir a vice-liderança provisória da competição.

Com 55 pontos, o time rubro-negro está um atrás do Internacional, que enfrentará o Santos na segunda-feira, em Porto Alegre, no confronto que fechará a 30ª rodada do torneio. Em outro duelo deste domingo, o líder Palmeiras, com 59 pontos, encara o Ceará no Pacaembu com boa chance de disparar ainda mais no topo da tabela.

Até por isso, uma vitória sobre o Paraná, que soma apenas 17 pontos em 29 jogos, é considerada obrigatória para o Flamengo dentro de seu objetivo de ir buscar o título brasileiro. A equipe carioca sofreu a sua última derrota na competição no dia 5 de setembro, quando caiu por 2 a 1 diante do Inter, no Beira-Rio, e sabe que precisa emplacar uma série de triunfos para aumentar as suas chances de ser campeão.

Para esta partida de domingo, o técnico Dorival Junior contará com os retornos do goleiro Diego Alves e do meia Diego, ambos recuperados de lesões e que ficaram fora das três últimas partidas no Brasileirão. Apenas o primeiro deles, porém, tem escalação garantida na equipe titular, enquanto César voltará ao banco de reservas.

Willian Arão entrou bem no time como substituto de Diego nestes últimos três jogos e, por isso, o meio-campista pode não iniciar o confronto entre os 11 escalados por Dorival, que ainda não confirmou a volta do atleta ao time titular.

"Não tem a decisão e a definição ainda. Aguardamos o Diego e a sua recuperação. Ainda está em recuperação. Temos três dias de trabalho para definir. Não vamos ligar Diego ao Arão. O pensamento é sempre de aproveitar todos os jogadores possíveis", afirma o treinador, em entrevista coletiva na quinta-feira, ao ser questionado sobre o camisa 10.

Diego, por sinal, ainda não foi comandado por Dorival desde quando o treinador assumiu o comando do time como substituto do demitido Maurício Barbieri. O meia e o goleiro Diego Alves não defendem a equipe desde a derrota por 2 a 1 para o Corinthians, pelo confronto de volta da semifinal da Copa do Brasil, que acabou provocando a saída de Barbieri do cargo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.