Lucas Merçon/Fluminense; Vitor Silva/Botafogo
Lucas Merçon/Fluminense; Vitor Silva/Botafogo

Embalados por vitórias, Flu e Botafogo prometem clássico empolgante no Maracanã

Equipe de Fernando Diniz vem de incrível virada sobre o Grêmio, enquanto time de Eduardo Barroca busca sua terceira vitória em quatro jogos

Marcio Dolzan, Estadao Conteudo

11 de maio de 2019 | 11h51

Vindo de vitórias na última rodada, Fluminense e Botafogo prometem um clássico empolgante neste sábado, às 16 horas, no Maracanã, pelo Brasileirão. O time do técnico Fernando Diniz está embalado pela virada histórica diante do Grêmio, batido por 5 a 4 em Porto Alegre, enquanto a equipe de Eduardo Barroca busca sua terceira vitória em quatro jogos. Os dois treinadores fazem mistério quanto à escalação.

Tanto Barroca quanto Diniz tem jogadores lesionados. No Botafogo, Gilson e João Paulo ainda possuem chances de atuar, mas serão reavaliados antes da partida. No Fluminense, Bruno Silva e Airton são desfalques certos.

As lesões acabaram servindo como armas para os dois treinadores deixarem os times em aberto. "Gilson e João Paulo estão com desgaste muscular. Não vou conseguir dar a escalação porque dependemos do processo de recuperação deles", desconversou Barroca na véspera da partida. Caso eles não atuem, Jonathan e Alex Santana devem iniciar.

No Fluminense, os substitutos dos dois volantes lesionados são um mistério, mas a tendência é a de que Dodi e Luiz Fernando ganhem uma chance. Além deles, Paulo Henrique Ganso também pode começar o jogo entre os titulares.

O atacante Luciano enalteceu a virada diante do Grêmio, mas projeta um confronto difícil no Maracanã. "O time do Botafogo é bom, tem grandes jogadores. Viemos de uma excelente vitória, estamos felizes, mas temos a consciência de que será outro jogo grande", comentou. "Vamos correr muito e nos ajudarmos para sairmos vitorioso."

Luciano não quis revelar quem deverá ir a campo, mas deu a entender que Ganso volta ao time. "Se jogar, nos ajudará bastante. É um grande jogador, experiente. Tem uma qualidade fora do normal. Sempre passa tranquilidade para a galera mais nova. Só agrega", comentou o atacante.

Eduardo Barroca também projeta uma partida complicada. O treinador destaca a importância da vitória para além do fato de que a mesma seria diante de um rival tradicional. "Mais importante do que ganhar clássico é a chance da terceira vitória em quatro jogos. Quando começamos, deixamos claro que precisávamos dar o máximo até a pausa da Copa América, para redesenhar e ganhar uma coletividade maior", pontuou.

"Terceira vitória seria muito especial. Sabemos que é um jogo muito difícil, o Fluminense é um adversário que costuma se impor e tem um treinador com ideia consolidada de trabalho, coletividade avançada. Mas temos condição de nos superar", reforçou o comandante alvinegro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.