Emerson admite que pode deixar a Juventus, da Itália

Emerson confessa que não garante sua permanência na Juventus para a próxima temporada. O time de Turim e maior campeão italiano está no centro do escândalo de corrupção no futebol da Itália que já gerou a queda do presidente da federação local e acabou fazendo com que toda a diretoria da Juve caísse. ?Vamos esperar para ver o que vai ocorrer com o clube, mas não sei se fico (na Juventus)?, afirmou Emerson. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou na semana passada que o escândalo era ?o maior da história do futebol italiano?. Se confirmada todas as acusações, a Juventus seria obrigada a abandonar a milionária primeira divisão e recomeçar no campeonato com outro registro. Isso, na prática, faria com que a Juve tivesse de reiniciar sua entrada no futebol como uma nova equipe e, claro, pela quarta divisão. Para muitos, os astros do time não aceitariam essa situação e já estariam buscando novos clubes. O jornal italiano Il Goirno já divulgou há poucos dias que o meio-campo poderia estar negociando uma transferência para o Real Madrid. Essa não seria a primeira vez que o time espanhol tenta sua contratação. Outra possibilidade seria o Milan, de Kaká, Serginho e Dida. O time de Milão procuraria um meio-campeão. Emerson não é o único que estaria deixando o time de Turim. Ibrahimovic, Tezeguet, Vieira e Zambrotta também já teriam dito aos dirigentes que não aceitariam ficar caso o clube tenha de recomeçar nas divisões inferiores da Itália. Outro que pode sair é Buffon, o goleiro suspeito de ter participado do esquema de corrupção mas que, mesmo assim foi convocado para seleção italiana. Para a Fifa, apesar de ter solicitado informações sobre o caso, apenas a federação italiana teria o poder de tirar um jogador da Copa do Mundo.

Agencia Estado,

25 Maio 2006 | 18h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.