Gilvan de Souza/Divulgação
Gilvan de Souza/Divulgação

Emerson dá seu apoio após Cristóvão citar racismo em críticas

Treinador revela 'perseguição' em seu trabalho no rubro-negro

FÁBIO GRELLET E RONALD LINCOLN JR., Estadão Conteúdo

11 de agosto de 2015 | 19h45

Um dos três técnicos negros ou pardos dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro (ao lado de Roger Machado, do Grêmio, e Vanderlei Luxemburgo, do Cruzeiro), Cristóvão Borges, que treina o Flamengo desde 28 de maio, afirmou que é alvo de críticas racistas. "Venho sofrendo críticas que fogem do padrão normal do futebol. Começam com as críticas, as críticas insistentes, contínuas e diárias", declarou, em entrevista à ESPN Brasil. "Existem críticas exacerbadas que, por serem sistemáticas, viraram perseguição. E algumas com conotação racista, sim. Então vira perseguição e, no conteúdo de algumas dessas críticas, existem componentes racistas, sim".

Após o treino desta terça-feira, o atacante Emerson apoiou o técnico. "O Cristóvão está pagando por uma coisa que não é só dele. É um cara que chega duas horas antes do treino, arma tudo a fim de dar o melhor trabalho para vinte e tantos atletas. É o último a sair do Ninho, acho uma grande injustiça", disse.

O atleta afirmou ainda que "(no Brasil) é assim: perdeu, culpa o treinador". "O treinador vai embora e dizem: `Aquele lá foi o culpado de tudo, que fazia tudo errado e por isso estava essa bagunça toda''. Felizmente aqui não tem bagunça nenhuma, o trabalho é muito bem feito pelo Cristóvão. O time é muito bem treinado, e ele me surpreendeu muito".

Emerson comparou Cristóvão Borges a Tite. "É um cara estudioso, que está querendo sempre aprender e tem essa gana de vencer. Me surpreendeu. Acho que as pessoas esquecem que por trás do treinador tem um ser humano, pai de família, um filho. E ele sente, né?", concluiu.

Em nota, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) também manifestou apoio ao técnico. "A ABI está solidária com o desabafo do técnico Cristóvão Borges do Flamengo por entender que, como cidadão, tem o direito de reagir a todas os comentários com conteúdo de natureza racista, mesmo de forma camuflada, como ele mesmo denunciou", afirmou em nota.

O Flamengo tenta a sua reabilitação nesta quarta-feira, às 19h30, contra o Atlético Paranaense, no estádio do Maracanã, no Rio, pela 18.ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.