Emerson desmente ato rebelde e Fabio Capello o defende

O volante brasileiro Emerson, nesta quinta-feira, desmentiu que havia pedido para não entrar em campo na vitória do Real Madrid por 3 a 2 sobre o Bayern de Munique, pela Liga dos Campeões, na última terça."É mentira. Sou profissional e nunca me neguei a jogar uma partida sequer. Ainda mais sobre o comando do Fabio Capello, quem conheço há muito tempo e que confia muito em mim", declarou o jogador ao diário espanhol Marca nesta quinta. Aliás, o treinador do clube merengue também desmentiu o ocorrido e defendeu seu pupilo. "Ele não cometeu um ato de indisciplina. Ele não disse que não jogaria. Emerson é jogador do Real Madrid e conto com ele", esbravejou o italiano que não quis responder a mais perguntas sobre o assunto e só falou diante de muita insistência dos jornalistas durante entrevista coletiva nesta quinta. O suposto ato de rebeldia de Emerson foi destaque na imprensa espanhola, pois no dia 11 de fevereiro o atacante camaronês Eto´o se recusou a entrar nos minutos finais da vitória do seu Barcelona sobre o Racing Santander, por 2 a 0, o que gerou uma crise entre o jogador e Frank Rijkaard, técnico do clube catalão. Porém, ao contrário do que aconteceu no time rival, a relação entre o volante brasileiro e Fabio Capello é bem diferente. Os dois já haviam trabalhado juntos na Roma e na Juventus. Quando o italiano foi contratado para comandar o Real Madrid, no início da temporada européia, Emerson foi uma das contratações pedidas por ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.