Emerson estréia amanhã no São Paulo

O zagueiro Emerson fará sua estréia com a camisa do São Paulo neste sábado, às 21h10, contra o Talleres, no estádio de Córdoba, na Argentina. O ex-jogador da Lusa é uma das armas do técnico Nelsinho Baptista para conseguir a segunda vitória são-paulina na Copa Mercosul e manter a liderança do grupo D.Mesmo aos 26 anos e com passagens pela seleção brasileira, Emerson nunca participou de competições internacionais de clubes ou enfrentou um time argentino. Mas, o novo desafio da carreira não assusta o jogador, muito menos a possível catimba dos rivais. "Não tenho medo, sou zagueiro e posso devolver pancadas", afirmou. "O atleta profissional não pode escolher o local onde quer estrear."Emerson fala com maturidade sobre sua "volta" ao futebol - não joga há 79 dias, desde o empate entre Portuguesa e o Atlético-PR, pela Copa do Brasil, no Canindé. "Estava sumido. Preciso dar seqüência na vida e esta é a minha chance", explicou. Apesar de estar há apenas uma semana no Morumbi, ele já age como um veterano no clube. "Frio na barriga? Não, apenas ansiedade", disse. "Não tenho medo de compromissos. Venho para me impor, aparecer."O tempo em que ele ficou sem jogar não o prejudicou fisicamente, pois Emerson estava treinando normalmente. É o que garante o preparador físico José Roberto Portela. "Ele está 10. Só precisa aprimorar a técnica e isso é com o Nelsinho (Baptista, técnico)", garantiu.O treinador, no entanto, desconversa sobre a presença do zagueiro no time. "Só defino a equipe nos vestiários", afirmou. Mas depois, deu uma dica do que está armando. "Não é porque o time jogou bem contra o Peñarol que será mantido. Já tenho os planos traçados."Além de Emerson, a equipe terá a volta do lateral-direito Belletti, que voltou ao clube após defender a seleção brasileira na Copa América.Reunião - O diretor de futebol do São Paulo, José Dias, afirmou nesta sexta-feira que participará de uma reunião com o departamento jurídico do clube, na segunda-feira, para discutir a situação de Rogério Ceni e de Aristizábal. O atacante colombiano, que entrou na Justiça pedindo o passe, fez um acordo com a diretoria são-paulina. Joga por um ano e depois recebe passe livre. O goleiro pode ser perdoado e reintegrado ao elenco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.