Emerson lamenta jogo 'sem graça' e critica São Paulo

O atacante Emerson foi sincero ao comentar que o clássico deste domingo entre São Paulo e Corinthians teve emoção zero se comparado às finais da Recopa Sul-Americana entre os dois times. "O jogo foi morno, sem graça, infelizmente a história não se repetiu", comentou o corintiano, decepcionado com o empate em 0 a 0 no Pacaembu pela nona rodada do Brasileirão.

VÍTOR MARQUES, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 19h44

O clássico deste domingo foi o quinto entre os rivais neste ano. O Corinthians leva vantagem, venceu três e empatou dois, ganhando a Recopa e eliminando o São Paulo do Paulistão. Mas este foi sem dúvida o mais sem graça de 2013.

Emerson e outros jogadores do Corinthians atribuíram o 0 a 0 à postura do São Paulo, que, segundo eles, entrou em campo mais preocupado em se defender do que em atacar. "Fica difícil furar um bloqueio com oito ou nove jogadores só atrás. A postura do São Paulo foi muito defensiva", disse. "Assim é difícil dar méritos a eles. Méritos a gente dá quando uma equipe busca o gol."

Além do resultado, o que deixou Emerson insatisfeito é a posição intermediária que o Corinthians ocupa na tabela do Brasileiro. Com apenas 11 pontos ganhos, o time é o 11º colocado, já bem atrás das equipes postulantes ao título.

"Nossa ideia era vencer, perdemos dois pontos", afirmou Emerson. "Pelo o que a gente projetou durante a semana a ideia era se aproximar do G8 e depois chegar ao G4. Vamos ter que esperar o próximo jogo."

O lateral-esquerdo Fábio Santos, que levou o terceiro amarelo e não enfrenta o Grêmio, quarta-feira, no Pacaembu, disse que o Corinthians mereceu a vitória. "O São Paulo quis segurar o empate e nisso eles foram felizes." Além de ter o pior ataque do Brasileiro, com seis gols, o Corinthians é a equipe que mais empatou até aqui: cinco jogos em nove rodadas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.