Gaspar Nobrega/Vipcomm - 5/2/2012
Gaspar Nobrega/Vipcomm - 5/2/2012

Émerson Leão diz que Jadson precisa render mais no São Paulo

Técnico cobra mais rapidez do jogador na readaptação ao futebol brasileiro

Bruno Deiro - estadão.com.br,

28 de fevereiro de 2012 | 22h29

SÃO PAULO - Há 40 dias no clube, Jadson defendeu o São Paulo em seis jogos e ainda não convenceu. Após ter saído no intervalo contra o Palmeiras, depois de péssimo primeiro tempo, ele já preocupa Émerson Leão, que cobra dele mais rapidez na readaptação ao futebol brasileiro.

Principal contratação do time para 2012, Jadson custou cerca de 4 milhões de euros (mais de R$ 9,1 milhões) e ganhou a camisa dez das mãos do ídolo Raí na chegada ao Morumbi. A cobrança, admite Leão, tem de ser proporcional ao investimento. “Ele terá de se adaptar mais rapidamente, porque até agora não conseguiu. Tem alternado bons jogos e atuações de menos brilho. Temos uma exigência grande sobre ele e estamos começando a conversar sobre isso.”

Substituído nos seis jogos que disputou, Jadson fez apenas um gol, de pênalti, no empate com o Bragantino (3 a 3, em Bragança Paulista). Antes, ele tinha desperdiçado um no clássico com o Corinthians que poderia ter evitado a derrota por 1 a 0.

No Prudentão, contra o Palmeiras, o meia ficou visivelmente cansado na etapa inicial e teve de ser substituído. Leão amenizou a situação após o clássico e apenas disse que Jadson havia sentido o forte calor de Presidente Prudente mais do que os outros jogadores.

Jadson vem de sete temporadas na fria Ucrânia, onde defendeu o Shakhtar Donetsk, mas Leão reconheceu que o problema não é só climático. “Acho que para alguns atletas a readaptação demora mais. E para um atleta técnico como ele, sete anos fora do Brasil faz muita diferença. Nesse período, o futebol do País mudou muito, antes tinha mais espaço, menos exigência e mais jogadores técnicos como ele. Hoje tem mais correria e marcação, e menos atletas técnicos.”

VAGA GARANTIDA

Mesmo com o desempenho abaixo do esperado neste começo, o técnico nem cogita colocar a principal aposta da diretoria para a temporada no banco. À espera de que Jadson reencontre sua melhor forma, Leão tem procurado a melhor posição para o armador. Pela esquerda, Jadson pouco rendeu e logo foi deslocado para uma zona mais central. Contra o Bragantino, teve a melhor atuação até o momento, com alguns bons passes.

A falta de concorrência no elenco, cheio de desfalques, também tem ajudado Jadson a continuar absoluto como titular. Com as graves lesões de Wellington e Cañete, e a recorrente ausência de Fabrício, o meio de campo do Tricolor está esvaziado. Além disso, Maicon ainda busca melhor forma física e Casemiro, que era aproveitado como meia por outros técnicos, tem sido obrigado a atuar como volante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.