Emerson Leão mexe no Santos para tentar espantar crise

Kleber Pereira e Denis se recuperam lesões e jogam contra o Marília nesta quinta-feira na Vila Belmiro

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

06 de fevereiro de 2008 | 19h06

O atacante Kléber Pereira, recuperado de uma torção no tornozelo direito, dá novo ânimo ao irregular Santos para o jogo desta quinta-feira, às 20h30 (com acompanhamento do estadao.com.br), contra o Marília, na Vila Belmiro. Leão vai mexer nos três setores do time em busca da segunda vitória em sete jogos, para tirar o clube da zona de rebaixamento do Campeonato Paulista e não agravar a crise. Veja também: Para Denis, jogo contra Marília marca reinício da carreira E não é apenas o resultado que interessa. A partida servirá para o técnico mudar o perfil da equipe para tentar ter sucesso na Libertadores, que para os santistas começará no dia 14, em Cúcuta, Colômbia. Até o empate por 1 a 1 contra o Paulista, no domingo passado, em Jundiaí, o técnico não tinha recursos para armar um conjunto e por isso preocupou-se mais em fechar a defesa para, como ponto de partida, evitar o gol adversário. Agora, a situação começa a mudar. Denis é a principal novidade, depois de nove meses parado em razão da segunda cirurgia no joelho esquerdo, e Alex, um garoto que tanto jogava na meia esquerda como de ala nos juniores, será a nova tentativa de substituir Kléber, que n SantosFábio Costa; Adailton, Evaldo e Betão; Denis, Adriano, Rodrigo Souto, Luiz Henrique e Alex; Tiago Luiz e Kléber PereiraTécnico: Emerson LeãoMaríliaMauro; Gum, Rafael Fefo e Vinicius; João Marcos, Alan, João Vítor, Romeu e Cleiton Cearense; Camilo e Wellington SilvaTécnico: Jorge RauliÁrbitro: Milton Etsuo BalleriniEstádio: Vila Belmiro, em SantosHorário: 20h30TV: Pay-Per-Viewão volta a jogar tão cedo. A zaga está fechada, com Adailton, Domingos (suspenso, cede lugar a Evaldo nesta quinta) e Betão. No meio-de-campo, Leão optou pela escalação de Adriano e Rodrigo Souto e, enquanto os reforços estrangeiros não estiverem regularizados, Luiz Henrique e Rodrigo Tabata são as opções para a armação. No ataque, a tendência é que a dupla formada por Kléber Pereira e Tiago Luís dê certo. "Minha maior preocupação é quanto à seqüência de jogos. Temos muito a caminhar para ficarmos bem e as partidas não esperam", disse Leão. Para ele, dos quatro grandes de São Paulo, o Santos é o que está em maiores dificuldades. "Somos uma equipe em transformação e mesmo aqueles que estão fazendo altos investimentos não estão conseguindo bons resultados no Campeonato Paulista, porque os pequenos não têm responsabilidade e atiram em todas as direções. Um dos motivos é que a motivação de jogador de time pequeno é diferente. Ele sabe que, se jogar um pouquinho acima do normal, dentro de pouco tempo estará num clube grande."  Nos últimos treinos, Leão exigiu muito dos laterais e meias nos cruzamentos para a área para ao aproveitamento de Kléber Pereira e Tiago Luís. Sua orientação para a dupla de atacantes é para que o centroavante se mantenha sempre próximo da área, enquanto o garoto Tiago Luís cairá pelas pontas para receber a bola e fechar na diagonal, como fazia na Copa São Paulo. "O lugar de Kléber Pereira é na frente, avançado. E lá que ele preocupa a zaga adversária, abre a marcação e tem mais chances de tentar o gol", disse Leão. Em quatro jogos nesta temporada, o artilheiro santista ainda não marcou. Kléber Pereira chegou à Vila Belmiro no começo de julho do ano passado e em 30 jogos anotou 16 gols. Ele não esconde que só voltou ao futebol brasileiro para disputar a Libertadores e já assumiu o compromisso de retornar ao Necaxa, do México, no segundo semestre.

Tudo o que sabemos sobre:
Paulistão A-1Santos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.