Arquivo/AE
Arquivo/AE

Empate causa turbulência no São Paulo em semana decisiva

Zagueiro André Dias afirma que grupo não está abalado para o duelo contra o Cruzeiro pela Copa Libertadores

Gabriel Navajas, Jornal da Tarde

14 de junho de 2009 | 17h45

O São Paulo está em estado de alerta. O tropeço de sábado - 1 a 1 contra o Santo André, no Morumbi -, as vaias da torcida depois do jogo, o baixo rendimento da equipe, as reclamações de Dagoberto por um esquema de jogo mais imprevisível e, finalmente, André Lima, que esperneou por não ter entrado, agitam o clube justamente na semana em que o time se prepara para o jogo decisivo contra o Cruzeiro, nesta quinta-feira, novamente no Morumbi, pelas quartas de final da Libertadores.

 

Veja também:

tabela Copa Libertadores - Classificação e Calendário 

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

 

A tranquilidade aparente foi abalada com o resultado diante do Santo André. Mais uma vez o time de Muricy Ramalho não venceu e vê os líderes se distanciarem no Campeonato Brasileiro. "Esse jogo não afeta para a partida de quinta-feira, de forma alguma. Até porque o Cruzeiro tem bem mais qualidade que o Santo André", analisou André Dias. "Pelo que vi e como já o enfrentamos, o Cruzeiro é melhor. Pela experiência que esse grupo tem, vai saber separar bem o Campeonato Brasileiro do jogo da Libertadores".

 

Borges, que salvou o São Paulo da derrota, também faz questão de colocar a Libertadores no lugar que merece. "São duas competições totalmente diferentes, não tem nada a ver. A Libertadores é uma outra história, a nossa partida do ano".

 

O atacante são-paulino minimiza o empate de sábado. "Não podemos achar que porque empatamos com o Santo André é o fim do mundo, que o São Paulo está com o grupo rachado, que é uma situação de desespero. Não. É nas dificuldades que a gente encontra força. Nada melhor um jogo importante contra o Cruzeiro para a gente voltar a vencer".

 

O termo "crise", segundo André Dias, passa longe do Morumbi. Agora e mesmo que o time seja eliminado na quinta. "A gente não pensa na hipótese de sair. Óbvio que ela pode acontecer, mas sabemos que o Cruzeiro não é melhor que o São Paulo. Se acontecer uma eliminação, acredito que a pressão será como nos outros anos. E no fim conquistamos o Brasileiro".

 

Nem mesmo as reclamações de Dagoberto, pedindo mais atitude da equipe, e de André Lima abalam o grupo. É o que garante o capitão do São Paulo. "Acho que qualquer coisa que você fale depois de uma partida não deve ser levada em consideração. Pela forma que a gente jogou, acredito que o jogador sai com a cabeça um pouco cheia, inchada e acaba falando coisas que muitas vezes não são verdade. O André (Lima) já pediu desculpas", disse André Dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.