Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Empate do Inter faz São Paulo se sentir vencedor com tropeço em casa

Equipe do Morumbi afirma que resultado com o Fluminense será bastante valorizado no fim do Brasileiro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2018 | 05h00

Para quem é líder do Campeonato Brasileiro, tem a melhor campanha da competição como mandante e enfrentou um adversário desfalcado do melhor jogador, empatar em casa poderia ser considerado um fracasso. Mas não para o São Paulo e as circunstâncias enfrentadas neste domingo diante do Fluminense, no Morumbi. Depois do 1 a 1, o técnico Diego Aguirre e o elenco garantiram que o mísero ponto somado será motivo de comemoração no futuro.

Em uma rodada em que o terceiro colocado Flamengo perdeu em pleno Maracanã para o Ceará e o vice-líder Inter empatou sem gols com o Cruzeiro, no Mineirão, o São Paulo se viu no lucro, pois mesmo com o tropeço, continuou com três pontos de vantagem para os perseguidores mais próximos.

"Superamos muitas adversidades. É um ponto que no final do campeonato vai valer muito", resumiu o treinador uruguaio. O resultado acabou valorizado pela expulsão de Diego Souza ainda no primeiro tempo e pelo time ter saído atrás no placar em um gol contra de Anderson Martins, lance que poderia ter abalado muito o elenco.

O Fluminense jogou sem o artilheiro Pedro, machucado, e esteve mais perto de fazer 2 a 1. Uma bola na trave aos 43 minutos do segundo tempo e uma chance clara perdida nos acréscimos ajudaram a São Paulo a reforçar a ideia de que o empate foi lucro dentro do cenário adverso. "Foi um empate que nos fortaleceu. O São Paulo está no caminho certo", disse o zagueiro Anderson Martins.

O São Paulo teve Diego Souza expulso aos 33 minutos de partida, saiu atrás com um gol contra de Anderson Martins no começo do segundo tempo e se recuperou com o empate de Tréllez. Os quase 50 mil torcedores presentes ao estádio também não reclamaram do placar. Assim como os jogadores, a reclamação recaiu sobre o árbitro paraense Dewson de Freitas.

"O juiz foi rigoroso. Poderia ser só amarelo", comentou Anderson Martins. O time pelo menos se manteve invicto como mandante neste Brasileiro. Agora são oito vitórias e três empates. Os jogadores entenderam que a reação em buscar o 1 a 1 e evitar a derrota gera um impacto importante sobre o ânimo para as partidas seguintes.

"Esse ponto lá na frente vai nos coroar. Ficamos com um a menos e jogamos e diante de um time organizado. Foi um jogo difícil", comentou o lateral-esquerdo Edimar. O São Paulo mantém a sequência de sete rodadas e mais de um mês sem perder no Brasileiro.

Nas próximas rodadas a equipe considera ser possível compensar os dois pontos perdidos pelos imprevistos no Morumbi. "Vamos tentar recuperar esses pontos na quarta-feira", disse Tréllez sobre o jogo com o Atlético-MG. Para o compromisso em Belo Horizonte o time terá o importante retorno de atacante Nenê, que estava suspenso.

O radar são-paulino também demonstra otimismo pela agenda futura conter partidas teoricamente mais tranquilas. Ainda neste mês a equipe candidata ao título enfrenta em casa Bahia e América-MG, dois times posicionados na metade de baixo da tabela e que lutam contra o rebaixamento.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.